sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A origem do homem americano

Os estudos sobre a origem do homem americano são marcados por debates acalorados entre membros da comunidade científica internacional



Pesquisas arqueológicas,biológicas e paleontológicas têm acrescentado novas informações ao que sabemos sobre o início da aventura humana na América.

Inicialmente,especulava-se que o homem americano era autóctone,ou seja,teria surgido no próprio continente,tese muito contestada porque até agora não se encontrou na América nenhum fóssil de hominídeo que não fosse de Homo sapiens.

Outra hipótese tradicional é defendida por estudiosos do sítio arqueológico de Clóvis,situado no estado norte-americano do Novo México,que afirmam ser a região a mais antiga em vestígios humanos,com 11.500 anos.Para eles,ao final da última Era do Gelo (que ocorreu entre 100 e 9.000 anos atrás) o nível da água dos mares estava tão baixo por causa da glaciação que fez emergir uma faixa de terra ligando a Sibéria ao Alasca,por onde teriam atravessado grupos humanos oriundo da Mongólia e da Sibéria (Ásia).

No entanto,desde o final da década de 90,o modelo Clóvis foi bastante questionado quando novas descobertas arqueológicas,no Sul do Chile,demonstraram que o ser humano ocupava a região havia menos de 14,5 mil anos.Tal descoberta causou grande impacto no meio científico.

Certo especialistas,como o pesquisador Walter Neves,da Universidade de São Paulo (USP),defendem que teria havido dois fluxos principais de migrações para a América,através do Estreito de Bering: o primeiro,ocorrido há aproximadamente 14,5 mil anos,era composto por indivíduos que apresentavam características parecidas com a de africanos e aborígenes australianos.O segundo,ocorrido por volta de 11 mil anos,era composto por indivíduos de origem asiática.

Outro grupo de cientistas acredita que durante a última glaciação,há cerca de 18 mil anos,o tamanho das geleiras entre a Sibéria e a América impossibilitaria a passagem pelo Estreito de Bering,o que os teria feito vir pelo Oceano Pacífico.Alguns cientistas discordam da origem asiática e sustentam que o homem americano teria origem africana e polinésia e teria chegado á América pelo Oceano Pacífico,há 15 mil anos.

A arqueóloga brasileira Niede Guidon,em estudos realizados no município de São Raimundo Nonato,no Piauí,encontrou artefatos e restos de fogueiras de mais de 33 mil anos.A pesquisadora acredita que o homem chegou á América há pelo menos 50 mil anos,vindo da África pelo Oceano Atlântico.No entanto,ainda não foram encontradas evidências fósseis de Homo sapiens com essa idade.

A teoria de Guidon acirrou os debates entre os membros da comunidade científica.É importante lembrar que as discussões sobre o tema sofrem constantes reviravoltas,já que o aparecimento de novas evidências arqueológicas associadas a estudos genéticos,acrescenta dados importantes ao que se sabe sobre a origem do homem americano.  

DE: História, das Cavernas ao Terceiro Milênio.

2 comentários:

  1. diante de tais teorias basta a nos leigos acreditar, mas nao so isso , devemos buscar procurar entender novas teorias para entender de onde somos descendentes

    ResponderExcluir
  2. Isso. Nossa mente deve estar aberta para diferentes teorias. Buscar nossas origens é essencial para que possamos entender a longa caminhada que o homem vem fazendo desde o seu surgimento na terra. Obrigado pela visita :)

    ResponderExcluir