sábado, 27 de abril de 2013

O que é Religião?

A religião é uma das atividades mais universais conhecidas pela humanidade,sendo praticada por todas as culturas desde o início dos tempos.Contudo,não há uma definição de religião universalmente aceita.A religião parece ter surgido do desejo de encontrar um significado e propósito definitivos para a vida,geralmente centrado na crença em um ser (ou seres) sobrenatural.Na maioria das religiões,os devotos tentam honrar e/ou influenciar seu deus ou deuses através de preces,sacrifícios ou comportamento correto 


Surge a pergunta a respeito do que pode ser incluído no que chamamos de religião.Podemos,por exemplo,chamar o marxismo-leninismo de religião,ou humanismo (a crença na humanidade e na razão no lugar de um deus)?Algumas pessoas poderiam incluir tais crenças em uma definição moderna de religião como "qualquer coisa a qual oferecemos devoção absoluta"; contudo,tais crenças normalmente não incluem qualquer referência a um ser (ou deus) sobrenatural ou máximo.Portanto,é melhor descrevê-las como ideologias e não religiões,embora possam compartilhar muitas das características da religião.


(Máscara religiosas africanas)

Crenças e Práticas


A religião é feita tanto de crenças quanto de práticas.A teologia acadêmica (especialmente no Ocidente e em relação ao cristianismo) tende a se concentrar na crença.Todavia,é importante observar que em algumas sociedades não há uma palavra para religião.Não se trata de um compartimento separado da vida-é um modo de compreender e viver a própria vida.Mesmo assim,é possível distinguir vários aspectos diferentes em quase todas as religiões.


Uma classificação amplamente aceita identifica cinco aspectos:FÉ,CULTO,COMUNIDADE,CREDO E CÓDIGO.A FÉ é a parte interna da religião;o que as pessoas acreditam,seus sentimentos de temor e reverência,prece individual,etc.



(demonstração de fé)

O CULTO é tudo que está envolvido na devoção-construções,imagens,altares,rituais,canções sagradas,reuniões da comunidade e assim por diante.

(demonstração de culto)

A COMUNIDADE é o aspecto social da religião-os devotos em uma igreja ou templo específicos,a denominação ou seita mais ampla,monges e freiras,etc.

(Comunidade: freiras)

O CREDO envolve todas a crenças e idéias mantidas pela religião como um todo,incluindo escrituras e idéias sobre Deus,anjos,o céu,o inferno e a salvação.

(Deus-ser divino que rege o universo)

O CÓDIGO envolve o modo que as pessoas se comportam devido a suas crenças religiosas e inclui éticas,tabus e idéias sobre o pecado e santidade.

(Código-idéias mantidas pela religião)

Famílias de Religiões


As religiões do mundo podem ser divididas em dois grupos principais-primitivas e universais.As PRIMITIVAS incluem as religiões tradicionais da África,Australásia,Oceania,algumas regiões da Ásia e os povos primitivos das Américas,além das religiões pré-cristãs da Europa e religiões de outros povos antigos.Essas religiões,embora diferentes em detalhes,possuem várias características em comum.Todas elas tendem a ser locais-são específicas para a tribo ou povo que as praticam-e seus praticantes geralmente não as consideram relevantes para outros povos.Dessa maneira,muitos dos mitos e histórias desse tipo de religião lidam com a origem de uma tribo específica.As religiões primitivas remanescentes (animistas) tendem a depender em grande parte da tradição oral em vez de escrituras e são geralmente não-missionárias.


(representantes de religiões primitivas da África)

As RELIGIÕES UNIVERSAIS acreditam ter importância para todo o mundo e tentam,com maior o menos intensidade,converter pessoas.Além disso,em sua maioria,desenvolveram escrituras que desempenham um papel central na religião.O islamismo e o cristianismo são exemplos característicos desse tipo de religião universal.Dentro do grupo universal algumas famílias principais podem ser identificadas.A família semítica inclui o judaísmo,o cristianismo e o islamismo,os quais compartilham de uma base comum histórica e geográfica.

(Cristianismo,Judaísmo e Islamismo)

A família indiana é composta do hinduísmo,do budismo antigo,do jainismo e da doutrina dos sikhs.

(Símbolos do Hinduísmo)

A família do Extremo Oriente inclui o confucionismo,o taoísmo e o xintoísmo.

'
(Símbolo do Confucionismo)

Embora qualquer religião normalmente afirme ter sido inspirada por Deus,é importante lembrar que todas elas começam e se desenvolvem em situações históricas,geográficas e culturais específicas que influenciam e moldam a forma tomada pela religião.

Outra forma de classificar grupos de religiões é a distinção entre aquelas com um único deus (monoteístas)  e aquelas com vários deuses (politeístas).As religiões monoteístas incluem o judaísmo,o cristianismo e o islamismo.As religiões politeístas incluem o hinduísmo,as religiões antigas gregas e germânicas e várias religiões primitivas remanescentes.

(religião monoteísta,um único Deus que rege o universo)

(Religião politeísta,hinduísmo,vários deuses regem o universo)

Religião e Secularismo


O secularismo é o conceito que se refere a distinção entre as organizações do governo e os encarregados para representar o Estado a partir de organizações religiosas. Pode se dizer que o secularismo defende o exercício de uma função ou aprendizado sem vínculo com um ensinamento religioso, como uma isenção da imposição do governo de uma religião sobre a população, desde que seja uma comunidade neutra em relação à crenças religiosas. Ou seja, o secularismo diz respeito às decisões sociais, sobretudo políticas, que agem de forma imparcial em relação à influência religiosa. Entre os pensadores e filósofos que estão em acordo com o pensamento secular, estão: Marco Aurélio, Epicuro, Averróis, Diderot, Voltaire, Thomas Jefferson, Bertrand Russel entre outros.(trecho retirado do site InfoEscola:http://www.infoescola.com/)


(A influência religiosa)


Religiões primitivas Remanescentes


as religiões primitivas que sobrevivem atualmente são as religiões de sociedades não alfabetizadas, normalmente sociedades tribais. A maior parte delas possui histórias longas e complexas. A palavra "primitiva"é usada para transmitir a ideia de que essas religiões se originaram em uma época anterior da história humana e fundamentam todas as principais religiões do mundo.Não é correto considerar essas religiões como sendo simplistas, uma vez que frequentemente contêm crenças e idéias a respeito do mundo que alcançam altos níveis de sofisticação. Em quase todas elas há um conceito de um deus supremo, às vezes proeminente na vida religiosa, às vezes remoto e desinteressado dos assuntos humanos.
A crença em um deus supremo é encontrada em toda a áfrica, mas em muitas regiões ele é considerado tão grande e remoto que não é adorado. 

A Religião BAHA'I


 é uma religião universal que tem por objetivo a unidade de todas as religiões existentes e o congraçamento espiritual de toda a humanidade, tendo evoluído a partir dos ensinamentos de dois visionários persas do século XIX - Mirza Ali Muhammad (1820-1850) conhecido como Bab ("passagem"), e Mirza Husahi Ali (1817-1892), conhecido como Baha'ullah ("glória de Deus"). Baha'ullah anunciou em 1863 que  era o mais recente de uma série de manifestações divinas - incluindo Jesus, Buda, Maomé e Zoroastro - enviado para redimir e purificar o mundo.





















sexta-feira, 26 de abril de 2013

Páginas que preservam a história de suas cidades

Páginas contam com a aprovação de vários perfis no Facebook.O objetivo de ambas é fazer a história de suas cidades serem valorizadas


Com a aprovação de vários perfis no Facebook,as páginas "Manaus de Antigamente" e "GuarAntiga" se diferenciam de muitas da rede social que abordam assuntos voltados para suas capitais (Manaus e Rio de Janeiro).As duas páginas mostram o contraste de suas cidades em épocas passadas e atuais.


(Teatro Municipal do Rio de Janeiro,1960)

(Teatro Amazonas,Manaus,1963)

O espírito de colaboração impera e as pessoas que vêem as páginas tem disponível a opção de enviar fotos.Alguns registros são cedidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),outros de CDs e DVDs e livros de história.

(Palacete Miranda Corrêa,Manaus,1930)

(Palácio Monroe,Rio de Janeiro,1910)

"Muitos jovens tem vergonha de Manaus e não conhecem a história da cidade onde vivem.É um desconhecimento muito grande que interfere em como se vê a capital.Alguns preferem engrandecer outras cidades brasileiras,mas nem se quer conhecem o Teatro Amazonas ou até mesmo o Rio Negro" disse a criadora da Página Manaus de Antigamente,Gisella Braga.

(casario antigo na rua Bernardo Ramos,Manaus)

(rua Bernardo Ramos,a mais antiga de Manaus)

Já a página GuarAntiga tem como objetivo levar para as pessoas a história do Rio de Janeiro e suas transformações,trazendo fotos que emocionam os antigos e o público jovem,que desconhecem o fato de que a cidade era limpa e segura em tempos passados.

(Avenida Beira Mar,Rio de Janeiro,1920)

A página Manaus de Antigamente,com 7 meses de existência,conta com a aprovação de mais de 18.800 perfis na rede social.A página GuarAntiga,fundada em 28 de novembro de 2012,conta com a aprovação de mais de 23.100 perfis.

"Devemos pensar nos centros históricos não somente como pontos comerciais,mas sim como lugares que remetem a nossa identidade cultural.No momento em que as pessoas perceberem que preservar os centros históricos é preservar sua própria identidade cultural elas irão dar mais valor". 

Segue o link das páginas:







terça-feira, 16 de abril de 2013

América: Terra de Grandes Civilizações

Estima-se que,no final do século XV,viviam na América cerca de 50 milhões de pessoas.Elas estavam distribuídas em sociedades muito diversas entre si,do ponto de vista cultural,político,econômico e social


De História Geral e do Brasil, Projeto Araribá

Durante muito tempo,pensou-se que as sociedades americanas fossem predominantemente tribais,sem nenhuma forma de centralização política.De fato,a forma tribal de organização foi comum em muitas regiões,mas hoje se sabe que outras grandes civilizações se desenvolveram no continente americano muito antes da conquista europeia.



Essa civilizações apresentavam algumas características comuns:

* A agricultura como principal atividade econômica,favorecida por técnicas de irrigação do solo.

* O domínio de técnicas aprimoradas de artesanato.

* As atividade de comércio.

* As práticas religiosas politeístas.

* Uma forte tradição guerreira.

* Conhecimento matemáticos e de astronomia.

Vamos concentrar nossa análise em três civilizações encontradas pelos espanhóis no continente americano a partir do início do século XVI: os astecas,os incas e os maias.


Mesoamérica


Acredita-se que a agricultura começou a ser praticada na Mesoamérica (região que engloba os atuais territórios do México,Guatemala,Belize,El Salvador,Honduras e Costa Rica) aproximadamente em 6000 a.C.-em uma época próxima,portanto,a verificada no Crescente Fértil (Área que se estende do Rio Nilo ao Golfo Pérsico,cercada por regiões desérticas).


A primeira sociedade a alcançar um grande desenvolvimento econômico e político foi provavelmente a dos olmecas,em cerca de 1300 a.C.,numa área próxima ao Golfo do México.Eles ergueram grandes edifícios,desenvolveram a agricultura,criaram calendários com base na observação dos astros celestes e produziram um artesanato tão sofisticado que hoje é considerado obra de arte.



A domesticação de animais,o domínio da metalurgia e a criação da roda demoraram a ocorrer na América.Segundo historiadores,essa situação limitou o desenvolvimento de certos setores,como o de transporte,por exemplo.

Além  da olmeca,outras importantes civilizações mesoamericanas foram a dos teotihuacanos e zapotecas.

América do Sul


A primeira grande civilização a se desenvolver na América do Sul provavelmente foi a dos chavíns,entre os séculos X e III a.C.,na Cordilheira dos Andes,na região do atual Peru.Várias outras civilizações desenvolveram-se nessa região marcada por montanhas,desertos e florestas tropicais.



Tal diversidade geográfica exigiu dessas populações soluções muito variadas.No caso das populações andinas,prevaleceram as práticas agrícolas e de criação de animais.Construíram-se terraços nas encostas das montanhas para cultivar o milho,a batata e outros gêneros alimentícios desconhecidos na Europa.As lhamas foram usadas para o transporte de carga.


A Civilização Asteca


Em meados do século XIV,os astecas fixaram-se em uma área próxima ao Lago Texcoco,região do atual México,onde fundaram a cidade de Tenochtitlán..A partir dela,conquistaram cidades e povos vizinhos,resultando na formação de um grande império.



A guerra era uma das atividades centrais dos astecas.Por meio dela,dominavam outras sociedades,obrigando-as a pagar tributos e reconhecer a sua autoridade política e militar.

Os tributos pagos aos chefes astecas na forma de produtos (como ouro e cacau) possibilitaram transformar Tenochtitlán em uma grande e bela cidade.Estima-se que em meados do século XV Tenochtitlán tivesse entre 200 e 300 mil habitantes,e que o império reunia ao todo cerca de 11 milhões de pessoas.

As Atividade Econômicas


A agricultura era a base da economia asteca.Cultivavam-se milho,feijão,pimenta,abóbora,cacau,algodão,tabaco,frutas e verduras.Os astecas domesticavam perus,cachorros e patos.A caça,a pesca e a coleta também eram atividade importantes para a sobrevivência dos astecas.


Os astecas desenvolveram um refinado artesanato em cerâmica,pedra e metais.Os artesãos trabalhavam tanto nas residências como nos templos,e também em oficinas instaladas nos palácios do imperador e dos altos funcionários do Estado.Ao que parece,eram bem remunerados.Suas esposas teciam e bordavam.




Técnicas e Conhecimentos


Os astecas faziam uso de uma escrita pictográfica (que utiliza cenas figuradas ou simbólicas para expressar ideias).Graças aos conhecimentos de astronomia,eles seguiam um calendário solar bastante complexo.Os astecas tinham grandes conhecimentos de engenharia,pois foram capazes de erguer enormes templos e edifícios de pedra,em forma de pirâmide,reservados aos rituais religiosos e funerários.


Além disso,eles construíam terraços sobre a água dos lagos,nos quais cultivavam flores e hortaliças.Essas pequenas ilhas artificiais,feitas com a lama acumulada nas margens dos lagos,recebiam o nome de chinampas.


A Educação de Meninos e Meninas



O sistema de ensino era severo e disciplinado e se baseava no estudo da história e da religião nacionais, na formação moral, na aprendizagem de ofícios e no treinamento militar.


"Durante os primeiros anos, a educação da criança ficava a cargo da família. O menino aprendia a carregar água e lenha, ajudava nos trabalhos agrícolas ou no comércio, na pesca e começava a remar sob a direção do pai. A menina varria, iniciava-se na cozinha, fiação e tecelagem. Assim que a criança atingia a idade de seis a nove anos, porém, seus pais a confiavam a um dos dois sistemas de educação pública então existentes: o colégio do bairro, onde "mestres de rapazes" e "mestras de moças" preparavam seus alunos para a vida prática; ou então o calmecac, colégio-monastério, onde a educação era ministrada pelos sacerdotes. Em princípio, somente os filhos dos dignitários (pilli) tinham acesso ao calmecac. Os filhos de negociantes, porém, também podiam ser admitidos, bem como crianças das camadas populares, caso se destinassem ao sacerdócio." (Soustelle, Jacques. A Civilização Asteca.. Rio de Janeiro, Zahar, 1997, p.62.)

A religião e a Arte


A arte asteca era basicamente religiosa.Eram politeístas e tinham o costume de construir templos para os distintos deuses: Tlaloc,deus da chuva e do trovão;Quetzalcoatl,deus do vento,da escrita,do calendário e das artes;Xipe Totec,deus dos ourives,e muitos outros.As vezes eram templos grandiosos,na forma de pirâmides.Neles realizavam cultos religiosos e sacrifícios humanos.Os astecas acreditavam que os sacrifícios renovavam a aliança selada entre os homens e os deuses.Geralmente as vítimas oferecidas em sacrifício eram prisioneiros de guerra ou escravos.



A pintura foi muito usada nos códices,com temas figurativos ou geométricos.Com a cerâmica,construíam vasos e outros utensílios domésticos,pintados com temas religiosos.O colorido era intenso.


O artesanato era riquíssimo.Os astecas tingiam tecidos feitos de algodão para a confecção de roupas e produziam mosaicos de plumas muito apreciados.As jóias eram preparadas usando ouro,prata e,muitas vezes,pedras semipreciosas,como jade e turquesa.


A civilização Inca


Acredita-se que os incas chegaram as terras férteis da região de Cuzco,sul do atual Peru,no final do século XIII.Influenciados pela cultura de outros povos que viviam na região,os incas fundaram uma sociedade que alcançou grande expressão por quase três séculos,até a chegada dos espanhóis.



Os incas chamavam seu grande império de "As quatro Terras" ou "Os Quatro Cantos do Mundo" (Tawantinsuyu).Ocupando uma extensa área (que compreendia territórios dos atuais Equador,Peru e Bolívia,ao norte, e do Chile e da Argentina,ao sul),o Império Inca chegou a reunir 12 milhões de súditos.


Dominação Política  


Os povos dominados pelos incas pagavam tributos na forma de trabalho.Muitas vezes,eram forçados a migrar para regiões determinadas pelos administradores do império.A organização visava garantir a defesa do território e equilibrar o abastecimento de toda a população,mesmo em períodos de escassa colheita.



As famílias recebiam do governo uma porção de terra para plantar e compartilhavam com os demais habitantes do ayllu (agrupamento de clãs indígenas que formavam uma unidade social na organização do império inca) o cultivo das terras do império.




O governo exercia um profundo controle sobre a vida dos governados do império.Nem por isso,quando tinham oportunidade,os povos dominados deixavam de oferecer resistência.Por essa razão,o governante mantinha um eficiente exército,capaz de conter os levantes dos povos submetidos.Estima-se que os incas dominassem uma população de 7 milhões de pessoas,pertencentes a mais de 100 grupos étnicos distintos.




As terras do império eram cortadas por uma rede de estradas talhadas nas encostas das montanhas,percorridas por caravanas de lhamas e pelos mensageiros do imperador.As estradas tinham uma extensão de mais de 23 mil quilômetros,unificando todas as partes do império.A construção das estradas era assegurada pela mita,sistema de distribuição de tarefas pelo qual os camponeses eram obrigados a prestar serviços ao Estado durante alguns dias do ano.


As atividade econômicas


A base econômica dos incas era a agricultura.Nas áreas desérticas,empregavam técnicas de irrigação;nas encostas das montanhas,construíam terraços.Cultivavam milho,feijão,batata,algodão,tomate,pimenta,abacaxi e outros produtos,usando como adubo o guano,composto formado por excrementos de aves marinhas ou de morcegos.

Os incas domesticavam lhamas e alpacas,dos quais obtinham carne,leite e lã.Esses animais serviam também como meio de transporte na acidentada geografia dos Andes.

O artesanato era bastante desenvolvido,com destaque para a tecelagem,a metalurgia e a produção de objetos de cerâmica.

A composição das elites incaicas


Quando o Sapa Inca morria,suas mulheres e servos eram sacrificados e seus corpos eram depositados,junto ao dele,no Templo do Sol.Como no Egito antigo,empregavam-se técnicas para mumificar os mortos.



O sucessor era escolhido entre os filhos do Sapa Inca com a coya,sua irmã e mulher legítima,a mais elevada na hierarquia de esposas do imperador.O eleito,destacado por sua capacidade,passava a receber uma severa educação.Afinal,devia preparar-se para agir com sabedoria e ponderação como regente do vasto império e como divindade venerada pelos súditos.



O imperador inca cercava-se de funcionários administrativos recrutados entre jovens das famílias nobres.As vezes,jovens comuns que se destacavam por suas destrezas intelectuais e físicas também eram admitidos.Os novos integrantes das elites tinham a sua orelha perfurada para exibir uma grande argola,um dos símbolos de sua posição.




A Cidade de Machu Picchu


Machu Picchu foi uma das poucas cidades incas que sobreviveram a conquista espanhola,provavelmente por não ter sido descoberta na época colonial.A cidade foi construída no topo de uma montanha no Vale do Rio Urubamba,a cerca de 2.400 metros de altitude.Abandonada por seus habitantes em época incerta,a cidade ficou coberta pela vegetação até ser encontrada pela expedição do arqueólogo norte-americano Hiram Binghan,em 1911.Acredita-se que a cidade tenha sido um local de cultos realizados pelas Virgens do Sol,pois a grande maioria dos restos mortais encontrados ali era de mulheres e crianças.



Astronomia Inca


Como não conheciam a escrita*,os conhecimentos de astronomia dos incas nos foram transmitidos,principalmente,pelos cronistas espanhóis.Pelo que se sabe,o ano inca correspondia ao ano solar de 365 dias.Dividia-se em 12 meses lunares,cada um marcando uma série de atividades religiosas realizadas na capital,a cidade de Cuzco,e atividades econômicas nas províncias.


Como o ano solar contava 10,9 dias a mais que o ciclo de 12 meses lunares,os astrônomos incas periodicamente tinham de fazer ajustes no calendário para evitar que essa diferença aumentasse e comprometesse as atividades agrícolas e as cerimônias rituais.



O relógio de sol construído na cidade de Machu Picchu indicava não só os dias do ano,mas também o início e o fim de cada estação-marcos do calendário agrícola e do calendário religioso inca.Para aquela sociedade,astronomia,religião e agricultura estavam profundamente entrelaçadas




*os incas não tinham escrita.Eles criaram um sistema de registro das informações conhecido como quipu.Os quipus consistiam em cordões coloridos nos quais se faziam vários nós.A cor e a quantidade de nós registravam diferentes informações,como a produção de alimentos,o número de habitantes do império e o valor dos tributos.   

A enigmática Civilização Maia


A civilização maia desenvolveu-se na área que corresponde ao sul do atual México,a Guatemala,Belize e Honduras.A história dos maias é dividida em três períodos: o pré-clássico,que vai de 1000 a.C. até 250 d.C.,o clássico,do ano 250 a 900;o pós-clássico,centralizado na Península de Yucatán,que permaneceu até a conquista espanhola no século XVI.



A história desse povo continua nos dias de hoje,assim como a de descendentes de outras sociedades indígenas americanas.A luta atual dos descendentes dos antigos maias no estado de Chiapas,no México,tornou-se símbolo da resistências indígena em terras do México e da Guatemala.

Chefes Políticos e Religiosos


Os maias viviam es cidades-estado governadas por chefes cujo poder era hereditário.O chefe de cada cidade exercia funcões políticas e religiosas,auxiliado por um conselho de líderes tribais,guerreiros e sacerdotes.


A religião e a guerra estavam associadas,pois a lutas geralmente visavam fazer prisoneiros para os sacrifícios aos deuses.


Uma civilizacão Agrícola


Numa cidade maia,nobres guerreiros e sacerdotes integravam a elite.Eles detinham a posse das terras e moravam nas áreas centrais.



Os camponeses viviam em palhoças,nas terras que cultivavam.Eles não eram donos das terras e tinham direito apenas a uma parte do que produziam.

A agricultura constituía a base da economia.O principal produto era o milho,tão importante que,segundo os mitos maias,os deuses o haviam utilizado como matéria-prima para criar o homem.

Os maias também cultivavam cacau,algodão,feijão,pimenta,sisal,abóbora,mamão e abacate.

Os senhores do Tempo 


Os sacerdotes maias eram também matemáticos e astrônomos.Além de criar um símbolo para representar o zero e usá-lo em cálculos matemáticos,eles desvendaram os movimentos do sol,da Lua de alguns planetas.Os maias também conheciam os eclipses solares e lunares.


Com base em todos esses conhecimentos,foram criados calendários tão precisos quanto os que existem hoje.



Graças aos calendários,os sacerdotes indicavam a época propícia para o preparo do campo,a semeadura e a colheita.



Cidade De Tikal

O sítio arqueológico de Tikal fica na Guatemala , a história dessa cidade começa no século I, essa cidade possui o mais impressionante conjunto arquitetônico , na verdade um local de cerimonias, no seu centro havia uma piramide maior , que é o templo do Jaguar um primor de arquitetura , que certamente foi o centro da cidade , a maior dos Maias .
Os vestígios arqueológicos demonstram que naquela região existia vilas agrícolas.As evidências são de que havia palácios , mercados, templos religiosos e habitações muito grande, porque haviam conjunto de edifícios em torno da pirâmide.

Histórico Da Cidade

No século 17 a cidade foi descoberta pelos espanhóis, missionários que queriam converter tribos que viviam às margens do lago Petén-Itzá, passaram aterrorizados por suas ruínas.A partir deste relato feito pelos religiosos o coronel Modesto Mendez em 1848 foi procurar a cidade,e quando a encontrou ficou maravilhado com a cultura.
Intrigando-nos até hoje, com o tamanho da pirâmide e dos templos feitos daquele tamanho com objetos construtores equivalentes a idade da pedra européia.Além disso a cidade possuía grandes reservatórios de água , e ainda alguns objetos que até hoje não foi possível reproduzi-lo.Mais recentemente os americanos encontraram pirâmides Maias na Guatemala com até 45 metros de altura na região de Nakbe com objetos com + ou- 400 a.C.






























segunda-feira, 15 de abril de 2013

Descobrimento do Brasil

Por muito tempo considerou-se o descobrimento do Brasil um mero acaso,um desvio provocado por calmarias na rota para o Oriente.No entanto,atualmente,os historiadores defendem a tese da intencionalidade,o fato de que Portugal precisava tomar posse das terras que lhe foram asseguradas pelo Tratado de Tordesilhas (1494).Com isso,muito do romantismo que cercava o nascimento de nosso país caiu por terra,sendo talvez mais justificáveis algumas das atitudes dos portugueses que,na realidade,já chegaram aqui com o intuito de exploração.


O advento do mercantilismo e a crise do sistema feudal obrigaram as nações do Velho Mundo a buscar novos mercados fornecedores de matéria-prima e consumidores de seus produtos,iniciando-se um período de grandes navegações,expansão de impérios e conquistas.Neste cenário,Portugal surge como pioneiro,estabelecendo vários domínios no litoral africano e investindo grande parte de suas riquezas na busca de um caminho marítimo para o Oriente.


Enquanto os espanhóis enviam Cristóvão Colombo (1451-1506),que aporta no continente americano em 1492 acreditando ter chegado as Índias,o navegador português Vasco da Gama (1469-1524) chega a Calicute,Índia,em 1498,repetindo a rota de Bartolomeu Dias (1450-1500) que,em 1488,havia ultrapassado o Cabo da Boa Esperança (sul da África) sem,no entanto,prosseguir viagem.

Portugal e Espanha tiveram,então,de fazer acordos para resolver as várias questões que surgiram referentes as terras recém-descobertas.Expedida pelo Papa Alexandre VI (pontificado 1492-1503) a 4 de maio de 1493,a Bula Intercoetera garantia a Espanha a exclusividade de exploração e cristianização de todas as terras descobertas além de 100 léguas a Oeste de Cabo Verde.A 7 de junho de 1494,as duas nações assinam o Tratado de Tordesilhas,alterando de 100 para 370 léguas a limitação imposta pela Bula.Com isso,parte do atual território brasileiro foi assegurada a Portugal,que tratou de dar continuidade a seus planos de expansão além-mar.


A Chegada de Cabral


A expedição liderada por Pedro Álvares Cabral (1467/8-1520) chegou a terra desconhecida a 22 de abril de 1500,desembarcando onde hoje está a cidade de Porto Seguro,litoral sul do estado da Bahia,com dez naus e três caravelas,tendo sido a maior expedição marítima já realizada por Portugal até então.


A primeira missa foi realizada a 26 de abril e a terra recebeu o nome de Santa Cruz ou Vera Cruz.Posteriormente,o nome Brasil foi adotado graças a abundância da árvore pau-brasil (Caesalpinia echinata),muito usada e valorizada pela indústria têxtil européia devido ao pigmento de cor avermelhada que produz.


Aqui chegando,os portugueses encontraram aqueles que foram chamados de índios,assim descritos pelo escrivão Pero Vaz de Caminha (1450-1500) em sua carta de viagem: "a feição deles é serem pardos,maneira de avermelhados,de bons rostos e bons narizes,bem feitos,andam nus,sem nenhuma coisa a cobrir (...).Parece-me gente de tal inocência,que se os homens os entendessem e eles a nós,seria logo cristãos,porque eles não tem nem entendem nenhuma crença"


A 2 de maio a expedição deixou o Brasil,indo em direção as Índias.Dois viajantes ficaram com a missão de colher mais informações sobre a terra e aprender a língua dos índios.  

Os primeiros brasileiros


Vários estudos vem sendo realizados tendo por objeto a presença humana em território brasileiro antes da chegada de Cabral.Alguns atestam a presença humana no território há mais de 48 mil anos.Dentre as hipóteses que explicam a existência dos povos primitivos nas Américas,uma das mais aceitas afirma que mongólicos migraram da Ásia ao noroeste da América,entre 15 mil e 10 mil anos antes da chegada dos europeus.


A primeira classificação,no entanto,é a dos jesuítas,que dividiram os nativos em tapuia (de língua travada) e do litoral ou tupi (de língua geral),baseados nas línguas faladas e nas áreas ocupadas pelos grupos.A primeira classificação científica,datada de 1884,dividiu os primeiros brasileiros em quatros nações: tupi-guarani,ou tapuia,nuaruaque ou naipure e caraíba ou cariba.A população total na época do descobrimento foi estimada em 1 a 3 milhões de habitantes.Os índios viviam basicamente de coleta,pesca e agricultura de subsistência,destacando-se o cultivo de mandioca,tabaco e milho.

O Início da Colonização

 

A primeira expedição realmente exploratória portuguesa chegou ao litoral do atual Rio Grande do Norte em maio de 1500,indo em direção ao sul e nomeando os locais descobertos como,por exemplo,Baía de Todos os Santos e Angra dos Reis.Até 1530,com a expedição de Martim Afonso de Souza (1500-1564),que tinha por objetivo tomar posse das terras e se estabelecer no país,o Brasil foi vítima apenas de exploração,sem qualquer intuito colonizador.

A partir de 1532,Martim Afonso foi autorizado pela Coroa portuguesa a ocupar o novo território até o limite do Tratado de Tordesilhas,sendo a colônia dividida em catorze capitanias hereditárias de 50 léguas cada.


Em 1548,foi estabelecido um governo geral na colônia,para assegurar ordem e prosperidade em todas as capitanias.Após os mandatos de três governadores-gerais,a administração do território é descentralizada e,mais tarde,novamente centralizada em governadores-gerais,agora chamados vice-reis.

Vários movimentos,como os Bandeiras,são empreendidos no sentido de expandir o território brasileiro em direção ao interior.O país sofreu várias invasões,notadamente de ingleses,franceses e holandeses,que deixaram vários remanescentes de sua passagem pelo Brasil,como fortes e construções residenciais.  


  






quarta-feira, 10 de abril de 2013

A economia brasileira na Primeira República: Os lucros do Café e a Transformação da Economia

No início da República,a principal atividade econômica brasileira era a agricultura.A economia nacional era quase inteiramente voltada para a exportação de gêneros agrícolas.Um único produto,o café,representava mais de dois terços do valor das exportações brasileiras.



Acredita-se que o café tenha sido introduzido no Brasil durante o século XVIII, período em que o produto já alcançara grande popularidade na Europa. As primeiras plantações do gênero foram registradas no Rio de Janeiro, por volta de 1760. De fato, ao longo do século XIX e início do século XX, o café se transformou no principal produto brasileiro vendido no mercado internacional.

A cultura do café trouxe prosperidade a economia brasileira,apesar de boa parte dos lucros obtidos com o produto ser destinada ao exterior,pois as importações eram bastante elevadas.



Mesmo assim,grande parte da riqueza permanecia no país.Essa riqueza era usada pelos cafeicultores para pagar as despesas com a lavoura,o salário dos trabalhadores e o transporte do café para os portos,bem como os gastos de suas famílias com alimentação,moradia e outros,como restaurantes,bares,barbearias,casas de moda,teatro e etc.O fato é que diversos outros negócios giravam em torno da economia cafeeira.


Os fazendeiros investiam em outros ramos de negócio além da produção de café,como bancos, construção de ferrovias e instalação de fábricas.Algumas vezes,o investidor nacional concorria com os capitalistas estrangeiros;outras vezes,agia em sociedade com eles.

(Homens,mulheres e crianças:operários da Tecelagem Crespi,fundada em 1897 pelo italiano Rodolfo Crespi,em São Paulo)

Com o aumento do número de fábricas,diversos setores da economia também se desenvolveram.Nas regiões onde se produzia café,parecia que se vivia uma época de ouro.Porém,a economia brasileira era extremamente instável.Não se podia ter certeza se as colheitas seriam boas e os preços do café oscilavam constantemente.Com isso,a economia ficava exposta a crises frequentes.

(Estação da Luz,São Paulo,início do século XX)

Quando Deodoro destronou D.Pedro II,o consumo mundial do café era bastante alto,sobretudo do café brasileiro.Observe no quadro a seguir que,desde o início da República,a economia era inteiramente dependente do café.


Estimulados pela elevação constante do consumo do café no exterior,os fazendeiros ampliaram a produção,até que a quantidade produzida tornou-se maior do que o mercado poderia comprar.Isso trouxe graves problemas para toda a economia.

Com grande quantidade de café a venda,os preços caíram rapidamente.Em 1893,uma saca do produto valia 4,09 libras; em 1899,o preço caiu para 1,48 libras.

A diminuição do preço do café tinha muitas consequências negativas.Uma das mais graves era a redução da quantidade de dinheiro estrangeiro que o país recebia pelas exportações.Com poucos dólares e libras,o governo não podia continuar pagando a dívida externa do país.Isso obrigou a pedir aos credores a suspensão temporária dos pagamentos.

(Bolsa de Santos,símbolo de poder dos barões do café)


Estocar para Valorizar o Produto


A superprodução era uma ameaça que pairava constantemente sobre a lavoura cafeeira.Uma nova supersafra,que poderia causar nova queda dos preços,estava prevista para o início de 1906.Os governadores dos estados de São Paulo,Minas Gerais e Rio de Janeiro,os maiores produtores de café,reuniram-se na cidade paulista de Taubaté para encontra uma solução para o problema.

Os governadores chegaram a um acordo que ficou conhecido como Convênio de Taubaté,que deu início a Política de Valorização do Café.Em resumo,o acordo era o seguinte: quando o preço do produto estivesse baixo,o governo compraria uma certa quantidade de café e a deixaria estocada.Quando os preços melhorassem,o produto estocado seria vendido.