sábado, 8 de junho de 2013

O Último Baile da Monarquia

Enquanto os republicanos organizavam o golpe de estado contra a Monarquia,D.Pedro II festejava na Ilha Fiscal


Numa pequena ilha da Baía de Guanabara foi erguida,no final do século XIX,uma bela construção,na forma de um castelo,para servir à fiscalização da Alfândega.Daí surgiu o nome com que a ilha ficou conhecida: Ilha Fiscal.


Foi lá que o governo imperial realizou uma festa inesquecível,na noite de 9 de novembro de 1889.Foi a maior festa realizada no Brasil,naquele tempo.Tratava-se de uma homenagem ao povo do Chile,representado pelos oficiais do navio Cochrane,que visitavam o Brasil.Mas, na verdade, comemorava-se as bodas de prata da princesa Isabel e do conde D’Eu. Além disso, a intenção do imperador era provar que a monarquia seguia viva e forte – o que, aliás, estava longe de ser verdade.



O vaivém dos convidados era constante. Eles desciam das barcas a vapor e eram recepcionados por moças fantasiadas de fadas e sereias.





(Dom Pedro II)



Foram 2 mil convidados,mas compareceram mais que o dobro de pessoas.Entre os presentes estavam D.Pedro II e toda a Família Imperial.Durante a festa, o clima de rivalidade entre monarquistas e republicanos não se manifestou. Apesar do sucesso do baile, o imperador pouco se divertiu. Ficou sentado o tempo todo e foi embora à 1h da manhã, sem jantar. Forçado a deixar o país em 17 de novembro, morreu dois anos depois, em Paris.A festa ficou conhecida como o "Baile da Ilha Fiscal".



(Ilha Fiscal,fotografia de Marc Ferrez,final do século XIX)

(Ilha Fiscal,2011)


FONTE: Adaptado de "Para entender a História" de Divalte Garcia Figueira e João Tristan Vargas,2* edição,2009.Aventuras na História,editora Abril.





Nenhum comentário:

Postar um comentário