quinta-feira, 18 de julho de 2013

A Ascensão do Totalitarismo

Entre o fim da Primeira Guerra Mundial (1918) e o começo da Segunda (1939),a Europa viveu uma das mais graves crises de sua história,cuja marca mais terrível foi o surgimento de uma nova forma de poder político e de organização do Estado: o totalitarismo.


O que é Totalitarismo ?


De acordo com o Dicionário de Política,1993.v.2 totalitarismo pode ser definido como:

O totalitarismo é uma forma de organização do Estado na qual todo o poder se concentra nas mãos de um pequeno grupo de pessoas,organizadas sob a forma de partido único.Esse partido conta geralmente com uma base de massas,mas apenas seus dirigentes têm poder de decisão.Os líderes intermediários ocupam postos na hierarquia do governo,de tal forma que a máquina do partido se confunde com o aparelho do Estado.

Essa superposição entre a organização partidária e a administração do Estado só é possível porque o grupo no poder suprime todas as liberdades individuais e coletivas e instala um regime de terror total contra a nação.O Estado totalitário,portanto,é um Estado policial que exerce uma vigilância permanente sobre a vida cotidiana dos cidadãos,controlando até mesmo a vida pessoal e familiar dos indivíduos.Trata-se de um caso de extremo autoritarismo.

Uma de suas principais características é o grande uso dos meios de comunicação de massa para difundir a ideologia do regime,exaltar o governo e a figura do líder.O chefe de um regime totalitário é o depositário de toda a ideologia,sendo encarado como um indivíduo excepcional,dotado de qualidades quase sobrenaturais.

Os regimes totalitários se estabeleceram es diversos países europeus após a Primeira Guerra Mundial.Nesta postagem serão abordadas as três principais formas de manifestação do totalitarismo na Europa: o fascismo italiano,o nazismo alemão e o stalinismo soviético.


O Fascismo Italiano


A Itália foi o primeiro país ocidental onde se instalou um regime totalitário.

Aliados das nações vencedoras da Primeira Guerra Mundial,os italianos ficaram insatisfeitos com os resultados do conflito.Além das perdas materiais e humanas sofridas (cerca de 670 mil mortos e 1 milhão de feridos)os italianos receberam bem menos do que fora prometido pelos aliados: obtiveram apenas alguns territórios alpinos antes pertencentes a Áustria e regiões balcânicas de população eslovena e croata.

Nessas circunstâncias,difundiu-se entre a população da Itália um profundo ressentimento contra as grandes potências democráticos-liberais da Europa,ao qual vinha somar-se uma crescente insatisfação social em razão da inflação,da carestia e do desemprego decorrentes da Guerra.

Entre 1919 e 1920,cerca de 3 milhões de trabalhadores urbanos,animados com o exemplo russo,promoviam greves e rebeliões armadas,que incluíam a tomada de fábricas e de fazendas.Com isso,cresceu o receio da alta burguesia e das classes médias de uma insurreição operária.

Em meio a essas condições,em 1919 um ex-combatente chamado Benito Mussolini (1883-1944) fundou um grupo nacionalista de extrema direita conhecido como Fascio de Combattimento.Seu símbolo,um feixe de varas (fascio) atado à lâmina de um machado,havia sido também um dos emblemas do Império Romano.Com ele,Mussolini queria dizer que era preciso reconquistar o antigo poderio de Roma.



(Símbolo do Fascismo)



Os Fasci de Combattimento espalharam-se pela Itália divulgando suas idéias ultranacionalistas,anticomunistas e antiliberais.Eles lutavam pela instauração de um governo forte e autoritário capaz de destruir os grupos de esquerda (comunistas e socialistas) e de pôr um fim às greves e manifestações operárias,vistas por Mussolini como desordem.

Com mais de 300 mil adeptos no início dos anos 1920,os Fasci de Combattimento contavam com milícias armadas e uniformizadas com camisas negras,que espalhavam o terror pelo país.Os integrantes dessas milícias,conhecidos como camisas-negras,assassinavam militantes de esquerda,dissolviam manifestações operárias e intimidavam políticos de orientação democrática,tudo sob os olhares complacentes do governo.

Em 1921 os Fasci di Combattimento se unificaram em torno da autoridade de Mussolini e se constituíram em Partido Nacional Fascista.Sua base de apoio era formada sobretudo por desempregados,ex-combatentes,pessoas das classes médias,além de industriais e proprietários de terra temerosos de que a Itália se transformasse em palco de uma revolução comunista.Nas eleições para parlamentares de 1921,35 fascistas foram eleitos deputados.Entre eles,Mussolini.

Em 1922,numa demonstração de força,cerca de 30 mil camisas-negras,sob a chefia de Mussolini,invadiram a capital italiana,ocupando prédios públicos e estações ferroviárias.O episódio ficou conhecido como Marcha sobre Roma.Dois dias depois,o rei Vitor Emanuel III convidou Mussolini para ocupar o cargo de primeiro-ministro.O fascismo chegava ao poder.



(Marcha sobre Roma)


Entre 1922 e 1925 Mussolini governou juntamente com outras forças políticas.Gradativamente,porém,ampliou seus poderes e se impôs como verdadeiro ditador.O Parlamento perdeu sua autoridade e os partidos políticos,com exceção do Partido Nacional Fascista,foram extintos.Os prefeitos e chefes locais perderam seus cargos e foram substituídos por seguidores de Mussolini.

Foi criada uma polícia política secreta para perseguir opositores do regime,o que levou 300 mil pessoas a se refugiarem no exterior;o governo implantou forte censura aos meios de comunicação e suprimiu o direito de greve.Todas as organizações que não fossem fascistas tornaram-se ilegais.No início dos anos 1930,o duce (guia),como era conhecido Mussolini,já centralizava todo o poder.


A Itália Dominada



(Mussolini saúda o povo em Pádua,Itália,em setembro de 1938)

Os fascistas acreditavam se fundamental doutrinar as crianças e os jovens.Nas escolas e universidades os professores eram obrigados a exaltar as realizações do regime e aspectos da vida do duce.Também foram criadas organizações que promoviam festas,competições,acampamentos,atividades ao ar livre e que transmitiam aos jovens a ideologia fascista.

Mussolini valeu-se dos meios de comunicação de massa para conquistar o apoio da população.Para tanto,utilizou amplamente jornais,rádios e documentários que divulgavam os feitos de seu governo e cultuavam sua figura,divulgada como a de um homem enérgico,atlético e trabalhador (políticos em época de candidatura ? sim ou claro ?).

Dois outros aspectos da política fascista contribuíram para sua consolidação entre a população italiana.O primeiro foi a intervenção maciça do Estado nas atividades econômicas.Isso ocorreu principalmente após o crash da Bolsa de Nova York,em 1929.Para debelar a crise,o Estado fascista lançou um amplo programa de obras públicas (estradas,pontes,etc.) e incentivou a produção de armas.Essa medidas fizeram baixar o desemprego.

O segundo aspecto dessa política foi a instituição,em 1927,da Carta del Lavoro (Carta do Trabalho),na qual se combinavam concessões aos trabalhadores com medidas de controle policial sobre eles.A carta estabelecia,por exemplo,o seguro contra acidentes de trabalho e a jornada de oito horas,mas proibia as greves e extinguia os sindicatos.

Mussolini aproximou-se da Igreja Católica e,em 1929,firmou o Tratado de Latrão com o papa Pio XI.O tratado regularizava o território dos Estados Pontifícios,reduzidos ao Vaticano,encerrando uma disputa que datava da conquista de Roma,no processo de reunificação italiana.

Na década de 1930 a Itália aproximou-se da Alemanha Nazista.Em 1935 Mussolini ordenou a invasão da Etiópia,único país africano,ao lado da Libéria,ainda não dominado pelos europeus.

E quando se pensa que não poderia ficar pior...Eis que,em 1933,o nazismo chegou ao poder na Alemanha.


O Nazismo na Alemanha


Ao terminar a Primeira Guerra Mundial,a Alemanha entrou em uma crise de grandes proporções.Estimulados pela consolidação da Revolução Russa de 1917,os trabalhadores alemães saíam às ruas,os soldados se amotinavam.Com a abdicação do imperador Guilherme II,dois dias antes do armistício que pôs fim ao confronto mundial,Líderes da oposição proclamaram a República e constituíram um governo provisório liderado pelo Partido Social-Democrata (socialista moderado).

Em janeiro de 1919,operários,soldados e marinheiros tentaram tomar o poder por meio de uma insurreição armada.À frente da rebelião colocaram-se os socialistas da Liga Espartaquista,liderados por Rosa Luxemburgo (1871-1919) e Karl Liebknecht (1871-1919).A revolta fracassou e os dois líderes foram presos e executados.Nesse mesmo ano realizaram-se eleições para uma Assembléia Constituinte,reunida na cidade de Weimar.Nascia,assim,a chamada República de Weimar (1919-1933),primeira experiência democrática da história da Alemanha.

Os anos iniciais da nova República foram difíceis.O país não tinha dinheiro para pagar as indenizações de guerra e sofria uma das maiores inflações de todos os tempos.O preço das mercadorias subia várias vezes no mesmo dia.Em abril de 1922,por exemplo,um dólar valia mil marcos;em setembro do ano seguinte,era equivalente a 350 milhões de marcos.

A economia alemã só voltou a se estabilizar a partir de 1924,graças a investimentos de capitais norte-americanos.Entretanto,a população continuou insatisfeita com os termos dos tratados de Paz que puseram fim à Primeira Guerra Mundial.Esse sentimento de orgulho nacional ferido estimulou a formação de grupos ultranacionalistas que tinham em mente a instauração de um governo forte,capaz de unificar os alemães e lutar pela recuperação da grandeza nacional.





Um desses grupos era o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães (que,em alemão fica Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei,daria origem a expressão nazista),formado em 1919.Liderado pelo austríaco Adolf Hitler (1889-1945),suas fileiras eram compostas por comerciantes falidos pela crise,desempregados,ex-militares,etc.Da mesma forma que os fascistas italianos,os nazistas alemães também se organizavam em grupos paramilitares.Suas milícias eram conhecidas como SA,sigla em alemão para "tropas de assalto".Além de reprimir violentamente os comunistas e os socialistas,as SA faziam a segurança dos comícios nazistas.

Em 1923,influenciado pela Marcha sobre Roma de Mussolini,Hitler tentou dar um golpe de Estado na cidade de Munique.A tentativa - Putsch de Munique,como ficou conhecida - fracassou e Hitler foi preso.Permanecendo por um ano na cadeia,Hitler escreveu o livro Mein Kampf (Minha Luta),no qual sistematizou a ideologia nazista.




(Mein Kampf)



No livro,Adolf defendia a superioridade dos povos arianos - considerados puros pelos nazistas e dos quais descenderiam os alemães - sobre judeus,eslavos,ciganos,negros e outros grupos humanos.Para Adolf,os judeus seriam,juntamente com os comunistas,causadores de quase todos os males do mundo.Mein Kampf defendia ainda o direito dos alemães a um "espaço vital",ou seja,um território na Europa que agrupasse os povos germânicos num só império.

No início de toda essa loucura,o apoio a Adolf era pequeno.A partir de 1930,porém,a Grande Depressão iniciada com o crash da Bolsa de Nova York arruinou as classes médias e causou o desemprego de milhões trabalhadores alemães.A crise serviu para aumentar ainda mais o sentimento de humilhação que atingia a população alemã desde 1918.Muitas pessoas passaram a desejar o aparecimento de um líder carismático capaz de resgatar a "honra nacional" e de colocar a Alemanha outra vez entre as grandes potências.Com sua exaltação da "raça ariana",Hitler parecia a muitos ser esse líder predestinado.O Partido Nazista passou,então,a crescer cada vez mais.

Entre 1930 e 1932,o número de deputados nazistas no Parlamento Alemão aumentou de 170 para 230.No ano seguinte,o presidente da Alemanha,marechal Paul von Hindenburg,convidou Hitler para ocupar o cargo de chanceler (primeiro-ministro) de seu governo.




(Adolf Hitler)


Com a morte de Hindenburg em agosto de 1933,Hitler o substitui no cargo de presidente e assume o título de Fuhrer (chefe),dando início ao Terceiro Reich Alemão (o Primeiro Reich foi o Sacro Império Romano-Germânico;e o Segundo,o da unificação alemã conquistada por Bismarck em 1870).


O Terror Nazista




Sendo um verdadeiro senhor absolutista,Hitler anulou a Constituição de 1919,instituiu a censura e suspendeu os direitos e garantias civis.Membros da Gestapo,a polícia secreta alemã,e da SS,tropa de elite nazista,passaram a perseguir,prender e torturar líderes religiosos,ciganos,homossexuais,judeus,líderes sindicais,comunistas e opositores em geral.Alcoólatras,doentes mentais e deficientes físicos eram internados a força e submetidos a cirurgias de esterilização.

Muitos intelectuais,cientistas e artistas contrários ao nazismo viram-se obrigados a exilar-se no exterior,como o físico Albert Einstein (1879-1955),o dramaturgo Bertolt Brecht (1898-1956),o escritor Thomas Mann (1875-1955),e muitos outros.Os que decidiam permanecer corriam o risco de ser enviados a campos de concentração.Em 1933,havia nesses campos 40 mil presos políticos.

A partir de 1934,o anti-semitismo tornou-se política oficial do Estado.Os judeus não podiam mais trabalhar em órgãos públicos,seus bens foram confiscados e eles ficaram proibidos de se casar com pessoas consideradas arianas.

Além do Terror,a propaganda sob o comando do ministro Joseph Goebbels (1897-1945),teve papel fundamental para a consolidação do nazismo.A ideologia nazista era difundida das mais variadas formas: documentários cinematográficos,programas de rádio,pôsteres e cartazes.Os comícios de Hitler,que reuniam milhares de pessoas,eram minuciosamente preparados para demonstrar o poder do Fuhrer e do povo alemão.

A divulgação da ideologia nazista também envolvia as crianças na sala de aula.Desde pequenas,elas eram ensinadas a ter orgulho de pertencer a raça ariana e a venerar e prestar obediência ao Fuhrer.





Com a recuperação econômica do país,a popularidade do regime cresceu.Essa recuperação foi obtida pela intervenção do Estado,que promoveu a realização de obras públicas,impulsionou a indústria de armamentos e estabeleceu formas de planejamento econômico.Grandes capitalistas internacionais e nacionais também ajudaram financeiramente o governo nazista.




Entusiasmado com o crescimento econômico,Hitler passou a transgredir as determinações do Tratado de Versalhes,que pôs fim a Primeira Guerra Mundial: remilitarizou a Alemanha e colocou em prática uma política expansionista.Abria caminho,assim,para a Segunda Guerra Mundial.


O Stalinismo Soviético




(Josef Stalin)


Em dezembro de 1925,pouco mais de um ano depois da morte de Lenin,Josef Stalin (1879-1953) assumiu oficialmente o comando da União Soviética.Com o pretexto de "construir o socialismo em um só país",o novo líder centralizou cada vez mais o poder,derrubou a vida democrática no interior dos soviéticos,suprimiu os direitos dos cidadãos (uma coroa e temos um rei absolutista.Isso vale para todos os totalitaristas citados nessa postagem),prendeu e eliminou seus opositores e criou um Estado totalitário de partido único,o Partido Comunista da União Soviética - PCUS,rígido e burocrático.








Para modernizar o país e fazê-lo crescer economicamente,o líder soviético pôs em ação,a partir de 1928,os chamados planos quinquenais,que consistiam em programas de desenvolvimento baseados na planificação econômica.A Nova Política Econômica (NEP) de Lenin foi deixada para trás e a economia soviética foi toda estatizada.

O governo investiu na Indústria pesada (máquinas e equipamentos) em detrimento da indústria de bens de consumo.Foram construídas siderurgias,indústrias químicas e petrolíferas,fábricas de tratores e de equipamentos agrícolas.Com isso,a produção de aço passou de 1,4 milhão de toneladas em 1922 para 38,1 milhões em 1953,ano em que morreu o ditador soviético.

No campo,o governo aplicou a política de coletivização forçada,com a estatização das propriedades rurais,transformadas em fazendas coletivas de grande porte (sovkhoses) e grandes cooperativas (kolkhoses).O governo promoveu uma reforma educacional que praticamente acabou com o analfabetismo no país.Os sistemas de transporte,habitação e saúde tornaram-se acessíveis a população.

Contudo,os direitos individuais e coletivos foram praticamente suprimidos,as greves proibidas e o terror de Estado transformado em um dos componentes da vida soviética.A polícia secreta perseguiu os opositores do regime e até mesmo antigos aliados.Entre 1936 e 1938 milhares de cidadãos foram detidos;muitos acabaram sendo executados.

Os camponeses que se rebelaram contra a coletivização forçada foram deslocados para outras regiões do país.Muitos foram enviados para os Gulags,campos de trabalhos forçados criados em todo o país para abrigar os opositores do regime.




(prisioneiros de um campo do Gulag no trabalho,1936-1937)


O Stalinismo também silenciou uma geração extremamente criativa de intelectuais e artistas,como o cineasta Sergei Eisenstein (1898-1948) e a poetisa Anna Akhmatova (1889-1966).Sem esperanças com o stalinismo e atormentados pela polícia secreta,muitos se suicidaram,como foi o caso do poeta Vladimir Maiakovski (1893-1930).

Dominada pelo governo,a imprensa tornou-se uma propagandista do regime.Graças a ela e aos departamentos de propaganda,Stalin era cultuado por meio de paradas militares e imensos retratos,em todas as regiões do país.O sonho de uma sociedade igualitária e democrática dos primeiros socialistas se transformou no pesadelo de um Estado policial ferreamente controlado pela liderança do Partido Comunista.


FONTE(S):  Dicionário de Política,1993.
                 História,volume único.Gislane e Reinaldo
                 Filosofando.Introdução a Filosofia.Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins.
              









2 comentários: