domingo, 28 de julho de 2013

A Diversidade de Ofícios no Engenho

A Palavra engenho possui dois significados: o local específico onde a cana era moída,cujo caldo era utilizado na produção do açúcar;e,em um sentido mais amplo,toda a propriedade açucareira,que comportava não apenas a moenda,mas também os fornos,as casas de purgar o açúcar,galpões de estoque,as senzalas (moradias dos escravos),a casa-grande (moradia do senho e de sua família),capela,pastos e roças.As vezes,todo esse conjunto incluía o canavial,onde a cana era plantada e colhida,mas nem sempre,pois também havia canaviais afastados dos engenhos.

O engenho que utilizava moinhos cuja força motriz era hidráulica era conhecido como Real,enquanto o que era movido por animais era chamado de Trapiche.

A manufatura do açúcar era trabalho de grande complexidade,envolvendo várias tarefas específicas: o plantio e o corte da cana,seu transporte até a moenda,a trituração da cana,o aquecimento do caldo até a solidificação,a purga do açúcar,seu encaixotamento e distribuição.Também havia a necessidade de organizar os turnos de trabalho,cuidar dos animais (usados como meio de transporte e,eventualmente,na tração da moenda),controlar os trabalhadores e punir os escravos fugitivos e faltosos.



(Engenho,pintura de Frans Post,1640.São visíveis três elementos característicos do engenho: a casa-grande,a capela e o engenho propriamente dito)



"A empresa do açúcar não envolvia apenas senhores e escravos.Ela abrigava um grupo diversificado de trabalhadores especializados e agregados,que orbitavam em suas franjas,prestando ao senhor de terras seus serviços.Eram mestres de açúcar,purgadores,caixeiros,calafates,caldeireiros,carpinteiros,pedreiros,barqueiros,entre outros.A eles juntavam-se outros grupos a animar a vida econômica e social das áreas litorâneas: mercadores,roceiros,artesãos,lavradores de roças de subsistência e de cana e,até mesmo,desocupados compunham uma complexa fragmentação de pequenos ou grandes proprietários.O número de escravos que possuíam (de dois a dezenas) permitia inferir a diversidade de origens sociais e de situações econômicas.No século XVIII,com o declínio da atividade e o aumento das alforrias,alguns libertos tornaram-se,também,proprietários de partidos de cana."


DEL PRIORE,Mary; VENÂNCIO,Renato Pinto.O Livro de Ouro da História do Brasil.Rio de Janeiro: Ediouro,2001.p.60.


FONTE: Conexões com a História.Volume 2,da colonização da América ao século XIX.Alexandre Alves e Letícia Fagundes de Oliveira.




Nenhum comentário:

Postar um comentário