segunda-feira, 15 de julho de 2013

Os Principais Publicistas e Ativistas da Revolução Francesa

François Noël "Gracchus" Babeuf (1760-1797)





Autodidata,filho de um operário e de uma empregada doméstica,nunca foi à escola.No período revolucionário francês,foi um dos jornalistas mais radicais.Em seu jornal O Tribuno do Povo,defendia ideais comunistas,tais como a divisão igualitária da terra e a supressão da propriedade privada.Tendo liderado o movimento conhecido como Conjuração dos Iguais,foi morto na guilhotina.


Nicolas de Bonneville (1760-1828)


Homem culto,sobrinho-neto de Racine,traduziu Shakespeare para o francês.Sua obra mais importante é O Espírito da Religiões,na qual propõe um mundo governado por filósofos e sábios,uma divisão justa das riquezas,a abolição dos privilégios hereditários,a soberania popular,a necessidade de instrução gratuita para todos os membros da sociedade,principalmente para o povo.Em 1790,com seu amigo Claude Fauchet,fundou a associação revolucionária Círculo Social.Foi preso várias vezes na época do Terror (período de forte radicalização política e predominância do partido jacobino,entre 1793 e 1794) e,durante o período de Napoleão,foi perseguido em razão de seu jornal O Bem Informado.Nunca abandonou a atividade de jornalista.


Jacques - Pierre Brissot de Warville (1754-1793)




Filho de burgueses,com grande convivência com o mundo das letras,foi eleito deputado de Paris na Assembléia Nacional.Fundou a Sociedade dos Amigos dos Negros,foi um dos mais importantes membros do partido girondino (Partido da burguesia moderada) e publicou vários jornais.Foi morto na guilhotina.


Emmanuel Henri de Launay,conde D'Antraigues (1753-1812)




Publicista e deputado na Assembléia Constituinte de 1789.Saiu da França em 1790,exilando-se na Inglaterra.Tornou-se contra-revolucionário e morreu assassinado numa vila perto de Londres.


Georges - Jacques Danton (1759 - 1794)




Advogado,foi uma das figuras mais controvertidas da Revolução francesa.Como ministro da Justiça,decretou as primeiras medidas do Terror,que fizeram rolar muitas cabeças,e foi eleito deputado na Convenção.Teve de Robespierre para combater tanto os girondinos quanto os radicais hebertistas,mas também sucumbiu ao terrorismo revolucionário,do qual havia sido um dos principais mentores.Foi guilhotinado.


Camille Desmoulins (1760 - 1794)






Filho de magistrado,tornou-se também advogado,mas só obteve sucesso como jornalista.Criou vários jornais,entre eles Revoluções de França e de Brabante e Velho Cordelier.Foi secretário de Danton,quando ele era ministro da Justiça.Elegeu-se deputado na Convenção.Foi guilhotinado junto com Danton.

Claude Fauchet (1744 - 1793)




Um dos grandes oradores do período revolucionário.Fundou o Círculo Social,com seu amigo Bonneville.Fazia comentários sobre O Contrato Social de Rousseau para um público de mais de seis mil pessoas.Foi eleito deputado na Assembléia Nacional e na Convenção.Era padre e chegou a ser nomeado bispo da região de Calvados.Foi morto na guilhotina,durante o Terror.

Jacques - René Hébert (1757 - 1794)




De família pobre,quando chegou a Paris,na época da revolução,estava completamente sem recursos.Editava o jornal O Pai Duchesne,um dos mais radicais desse período.Considerado ultra-radical,exigiu a prisão e a execução dos girondinos.Mas logo começou a ser hostilizado também pelos jacobinos.Acusado de conspiração contra a Assembléia Nacional,foi executado.

Gabriel Bonnot de Mably (1709 - 1785)



É um dos precursores das teses comunistas.Para ele,a propriedade é a fonte de todos os males do homem.Por isso,seria preferível se houvesse um lugar onde os homens pudessem viver felizes tendo como princípio a comunidade dos bens.Sua influência sobre os revolucionários foi muito grande.As Observações sobre a História da França e Os deveres do homem e do cidadão são suas principais obras,muito difundidas a partir de 1789.

Jean - Paul Marat (1743 - 1793)




Foi um dos mais aguerridos revolucionários.Jornalista implacável,não se cansou de combater os defensores da monarquia e da contra-revolução.Ele mesmo escrevia as oito páginas de seu jornal O Amigo do Povo,no qual incitava as multidões à violência.Para os inimigos da revolução,Marat era a encarnação do mal absoluto.Foi assassinado por Charlotte Corday,uma jovem ligada aos girondinos.

Honoré - Gabriel Riqueti,conde de Mirabeau (1749-1791)



Grande orador,eleito deputado na Assembléia Constituinte pelo Terceiro Estado,depois de ter sido recusado como representante da nobreza.Participou intensamente de todos os debates dos primeiros momentos da revolução Francesa.Era um grande defensor da liberdade de imprensa.Defendia a monarquia constitucional,através de uma revolução que mantivesse o poder do rei.

Thomas Payne (1737-1809)




Nasceu na Inglaterra,morou nos Estados Unidos e destacou-se nesse país como grande jornalista,defensor da independência americana.Por seu livro Os direitos do homem,foi condenado na Inglaterra.Refugiou-se então na França,tendo sido acolhido pelos girondinos e obtendo a cidadania francesa.Foi eleito deputado na Convenção.Pronunciou-se contra a morte de Luís XVI e foi preso durante o Terror.Voltou à Convenção após a morte de Robespierre e deixou a França depois da ascensão de Napoleão.

Louis - Marie Prudhomme (1752 - 1830)




Foi responsável por vários panfletos durante o período revolucionário.Depois de 14 de julho de 1789,criou um semanário intitulado As Revoluções de Paris.Em 1794 foi preso,acusado de defensor da monarquia.Solto logo em seguida,afastou-se de Paris e só voltou em 1797.A partir de então,viveu como editor.

Maximilien Marie Isidore de Robespierre 

(1758 - 1794)




Advogado da cidade de Arras,foi uma das figuras mais importantes da Revolução Francesa.Discípulo entusiasta de Rousseau e de Mably,destacou-se desde o início da revolução como deputado do Terceiro Estado.Era considerado um homem de princípios,irredutível,implacável.Organizou o regime do Terror,que levou à guilhotina os girondinos,os hebertistas e os dantonistas.Por isso,logo atraiu a antipatia de muitos que antes estavam de seu lado e também foi morto na guilhotina.

Emmanuel - Joseph Sieyés (1748 - 1836)




Era padre e em 1787 tinha se tornado vigário do bispo da cidade de Chartres.Publicou em 1788 um Ensaio sobre os privilégios e o famoso opúsculo O que é o Terceiro Estado.Foi líder da campanha que,em 1788,pretendia transformar os Estados Gerais em Assembléia Nacional.Sob o período do Terror,permaneceu voluntariamente calado.Após a queda de Robespierre,como membro do Comitê de Salvação Nacional,ocupou-se sobretudo da política exterior.



FONTE: História em movimento: Iluminismo,A Revolução das Luzes.Milton Meira do Nascimento e Maria das Graças Nascimento. 














4 comentários:

  1. Parabéns pelo blogger, um colega me indicou seu site parabéns mesmo você me ajudou bastante.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o blogger Fábio, historiador de futuro :-D.

    ResponderExcluir