terça-feira, 27 de agosto de 2013

A Revolta de Beckman (Maranhão,1684)



No século XVII,o Maranhão era uma região pobre,que vivia principalmente da exploração das "Drogas do Sertão" e da reduzida lavoura com mão-de-obra indígena,mais barata que a africana,empregada principalmente nos engenhos da Bahia e Pernambuco.O uso dos indígenas como escravos desencadeou forte oposição por parte dos Jesuítas da região,que também utilizavam os índios para manter suas propriedades.

Devido aos constantes atritos entre colonos e religiosos,a metrópole criou,em 1682,a Companhia Geral do Comércio do Estado do Maranhão,detentora do monopólio do comércio da região pelo prazo de vinte anos.Com isso,Portugal procurava incentivar a colonização da região e o trabalho dos colonos.Sua função seria vender produtos europeus aos habitantes do Maranhão,como bacalhau,azeite,vinhos,tecidos,farinha de trigo,e deles comprar o que produziam,como algodão,açúcar,madeira e as "drogas do sertão".A companhia também se responsabilizava por fornecer à região 500 escravos por ano,num total de 10 mil ao longo de vinte anos,para resolver o problema da mão-de-obra.

Por usufruir da exclusividade comercial,porém,a companhia vendia seus produtos a preços muito elevados e oferecia muito pouco pelos artigos adquiridos ao colonos,além de não cumprir o acordo de fornecimento de escravos.Sendo assim,o descontentamento da população local só não diminuiu como se ampliou,levando os colonos á revolta.

"Não resta outra coisa senão cada um defender-se por si mesmo; duas coisas são necessárias: a revogação do monopólio e a expulsão dos jesuítas,a fim de se recuperar a mão livre no que diz respeito ao comércio e aos índios; depois haverá tempo de mandar ao rei representantes eleitos e obter a sanção dele." - Manuel Beckman


Sob o comando do fazendeiro Manuel Beckman,os revoltosos ocuparam a cidade de São Luís,de onde expulsaram os representantes da Companhia e os jesuítas que se opunham a escravização indígena,governando o Maranhão por quase um ano.

O irmão de Manuel,Tomás Beckman,dirigiu-se como emissário a Lisboa,para afirmar a fidelidade ao rei e reforçar acusações contra a Companhia pelo descumprimento do contrato e várias outras irregularidades.

Contudo,a reação metropolitana foi violenta: um novo governador;Gomes Freire de Andrade,foi nomeado e enviado para o Maranhão,bem como tropas para combater os revoltosos.O movimento foi vencido e seus principais líderes,Manuel Beckman e Jorge Sampaio,foram enforcados.Os colonos,entretanto,conseguiram extinguir a Companhia,em 1685,depois de confirmadas as queixas dos revoltosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário