quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Breve História da Praça Antônio Bittencourt (do Congresso)

Folheando um livro antigo em um sebo ,encontrei um belo folheto contendo o histórico bem resumido da Praça Antônio Bittencourt,popularmente conhecida como Praça do Congresso:


O Patrono




Antônio Clemente Ribeiro Bittencourt nasceu em Manaus,no dia 3 de novembro de 1853,pouco mais de um ano após a instalação da Província do Amazonas.Filho do tenente José Ferreira Bittencourt e Damiana Filipa de Souza.Ingressou nas tropas que serviriam na Guerra do Paraguai,destacando-se como militar de carreira. Começou na condição de Alferes,passou à Guarda-Aduaneiro,Amanuense da Secretaria Geral da Província,progredindo em todas as funções e aposentando-se como Oficial Maior,ou Diretor Geral,com 25 anos de serviço.

Integrou o Partido Democrata,chefiado por Emílio José Moreira com o qual rompeu em 1896.Foi deputado provincial e deputado estadual em diversas ocasiões.Foi Secretário Geral do Estado no governo de Silvério Nery (1900-1904) e candidato ao senado da República (1903).Foi indicado e eleito vice-governador do Estado na chapa de Antônio Constantino Nery (1904-1908).Eleito Governador do Estado,no período de 1908 a 1912,com apoio partidário e do presidente Affonso Penna.Foi deposto do cargo em 1910,quando do célebre bombardeio de Manaus,mas reconduzido ao cargo por ordem do presidente da República Nilo Peçanha.O período foi de grande tumulto político e de graves consequências para as finanças e a ordem pública,mas ainda assim,Bittencourt foi austero em sua administração e honrado em toda a sua vida.

Foi um dos fundadores do Instituto Geográfico e Histórico do Amazonas,em março de 1917,assumindo a presidência logo após a gestão de Bernardo Azevedo da Silva Ramos.Integrou a maçonaria amazonense,galgando todos os graus e exercendo os mais destacados cargos administrativos.

Casou-se com Antônia de Andrada Bittencourt,com quem teve os filho Raymundo,Francisca e Agnello.Quando viúvo,casou-se com sua prima Amélia de Souza Bittencourt,com quem teve vários filhos,entre eles Dalila e Ilza.

Faleceu em 1926.

O Lugar



(Praça do Congresso,1959)

Ainda no tempo do Império do Brasil (1822-1889),tudo começou no espaço chamado de Largo do Paiçandu - homenagem ao território uruguaio tomado em 1865.Desapareceu com o aterro do Igarapé do Espírito Santo e a abertura de ruas e loteamentos,formando na parte final da região,o jardim do Palácio Novo.

Uma comissão de Saneamento do Estado propôs a bifurcação da Avenida Eduardo Ribeiro,em frente ao Palácio do Governo,para facilitar o trânsito de veículos,e para este fim,desapropriou áreas,iniciando-se o movimento de terras.As obras passaram a ser realizadas em derredor do Palácio e essa ampla esplanada,anos depois,foi sendo reduzida por cessão de terras públicas para edificações particulares,resultando na sua formação atual.Já designada Praça 5 de setembro - em homenagem à elevação do Amazonas à categoria de Província,o jardim foi completamente reformado,na administração municipal do professor Gilberto Mestrinho,sendo o desenho artístico elaborado pelo Dr.Areolino de Azevedo.

Os Nomes Antigos


Constituiu-se inicialmente como Largo do Paiçandu.A denominação seguinte foi Praça 5 de setembro.Recebeu o nome de Praça Antônio Bittencourt em homenagem ao político renomado da época - Antônio Clemente Ribeiro Bittencourt.Popularmente foi chamada de Praça da Saúde,em razão do edifício sede da Repartição de Saúde Pública,ali existente por muitos anos.



(Prédio da Saúde,1960)

A denominação popular que mais se fixou na memória coletiva foi Praça do Congresso,referência direta ao 1°Congresso Eucarístico Diocesano de Manaus e à comemoração dos 50 anos de criação do Bispado do Amazonas,realizado naquele logradouro em junho de 1942.



(Congresso Eucarístico e comemoração da criação do Bispado do Amazonas,1942)

Monumentos



Durante muitos anos a Praça permaneceu sem monumentos,constituindo-se em uma esplanada aberta diante do antigo Palácio,e só recebeu melhoramentos quando dos preparativos para o 1°Congresso Diocesano de Manaus,de 1942.Para esse evento foram edificados o mastro com a bandeira Nacional e o monumento a Nossa Senhora da Conceição.



(Monumento a N.S.Conceição,2002,foto de Maria Evany do Nascimento)

Anos depois,o prefeito Manoel Ribeiro mandou edificar um busto em bronze em homenagem ao governador Eduardo Ribeiro,Substituído na reabilitação e restauração do logradouro no Governo Omar Aziz,por meio da Secretária de Estado da Cultura.


Vizinhança


O entorno da Praça foi valorizado por vizinhança ilustre,ainda que tenha perdido o sentido da proposta original,de um grande jardim frontal ao Palácio do Governo.O palacete de esquina da Rua Monsenhor Coutinho serviu de Residência e gabinete de trabalho a Harold Howard Shearme Wolferstan Thomas,mais conhecido como Dr.Thomas,médico canadense formado em medicina tropical em Liverpool,atuou em Manaus por muitos anos.No mesmo palacete,anos depois,pelo prefeito Amazonino Mendes,foi instalada a Biblioteca João Bosco Pantoja Evangelista - importante escritor e professor amazonense.



(Residência e gabinete do Dr.Thomas,1922)

Na mesma quadra se encontram a residência da família Bulbol,comerciantes respeitados de Manaus,a casa de residência do diretor do Colégio Militar de Manaus e que serviu também de residência para os generais comandantes do GEF - Grupamento de Elementos de Fronteira e da região militar,Rodrigo Octávio Jordão Ramos quando comandante militar da Amazônia.

Ao centro e ao alto,no local onde seria o Palácio do Governo,está o Instituto de Educação do Amazonas,ali instalado pelo governo de Álvaro Maia.



(Instituto de Educação do Amazonas - IEA)

Do lado oposto,em linha com o Instituto Benjamin Constant,antigo Instituto Elisa Souto,encontra-se a residência do médico Arlindo Frota e o Prédio do Departamento de Saúde Pública,este já demolido.Completando o entorno,no local do antigo e belíssimo palacete Miranda Corrêa,está o edifício do mesmo nome,e o Ideal clube,de imponente arquitetura.



(Instituto Benjamin Constant)


(Palacete Miranda Correa,1930)



(Ideal clube)

praça tem sido logradouro para grandes festejos populares,cívicos,políticos e religiosos.Serve para solenidades cívicas de abertura da Semana da Pátria,solenidades comemorativas do Fogo Simbólico da Pátria,apresentação de bandas marciais escolares do Instituto Benjamin Constant,do Colégio Brasileiro,Colégio Dom Bosco,serviu para a posse do governador Gilberto Mestrinho,Comícios das Diretas Já,eventos sociais e desportivos.


Leiam:

Monumentos Públicos do Centro Histórico de Manaus,da escritora Maria Evany do Nascimento.

Visitem:

MANAUS DE ANTIGAMENTE: https://www.facebook.com/Manausdeantigamente?ref=ts&fref=ts

MANAUS SORRISO: https://www.facebook.com/pages/Manaus-Sorriso/318107561622534?ref=ts&fref=ts

MANAUS ONTEM,HOJE E SEMPRE:https://www.facebook.com/nossamanaus?ref=ts&fref=ts






5 comentários:

  1. gostei do post, tbm amo história, me interesso muito principalmente o de Manaus, fiz uma escolha diferente, acho que consegui unir o útil ao agradável, hoje estudo arquitetura e urbanismo e tenho que pesquisar muito sobre o inicio da urbanização da cidade, me empolgo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.Realmente a história de Manaus é fascinante,também fico empolgado,rsrs :)

      Excluir
  2. Realmente manaus tem muitas histórias vividas e outras para se viver ... Amo minha terra.

    ResponderExcluir
  3. mano, depois de um tempinho que vim visitar seu blog, e tô gostando muito. Parabéns Fabio, abraço forte mano

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigado, amigo. Volte sempre :D

    ResponderExcluir