domingo, 8 de setembro de 2013

A Origem da Cidade de Manaus

*

A História da cidade de Manaus se inicia no atual bairro do Tarumã, Zona Oeste. Historiadores contam que o local foi habitado, por volta de 1657, por índios aruaques e alófila. No mesmo ano chega uma tropa de resgate, que finca uma cruz jesuítica no local e batiza a comunidade com o nome de Missão do Tarumã. A expedição era comandada por Pedro da Costa Favela. Favela era conhecido como o mais famoso matador de índios do Amazonas. Uma segunda tropa de resgate que chegou na região a batizou de arraial do Tarumã. Essa expedição veio continuar a colonização e dar início a extração das Drogas do Sertão e fundou o primeiro núcleo cristão no vale do Rio Negro.

Os índios Aruaque conduziram o Capitão Pedro da Costa Favela,em 1668,do rio Urubu ao local onde atualmente localiza-se a formosa capital do Amazonas.Conhecendo a ótima situação da localidade,á margem esquerda do Rio Negro,a montante da sua confluência com o Solimões,o Capitão Pedro Favela da informações ao Capitão Mór do Pará,Antônio de Albuquerque Coelho de Carvalho,que,a muito tempo,se interessava pela região.A construção do forte era uma necessidade de assegurar os domínios da Coroa Portuguesa na região e garantir a conquista do elemento nativo.

O ano é 1669.Ergueu-se lentamente,à barreira da margem esquerda do Rio Negro,um simulacro de fortaleza,de forma quadrangular,em pedra e barro,sem fosso.Coube ao capitão Francisco da Mota Falcão,artilhar a fortaleza,com a ajuda de seu filho,Manuel da Mota Siqueira,grande especialista em assuntos militares.Duas peças de bronze e duas de ferro,respectivamente de calibres um e três,guarneciam a construção.

Chamavam-na de fortaleza São José da Barra,fundada sob a invocação de Jesus,Maria e José.Também era conhecida por fortaleza de São José da Barra,Fortaleza ou Forte da Barra,São José do Rio Negro,São José e Casa Forte.Esse forte ficava precisamente a três léguas da foz do Rio Negro,num cômoro suave (barreira,como era chamada à época),mais ou menos no local onde se encontra hoje o edifício da Fazenda Pública.Note-se que aquele local foi arrasado,pois o nível da barreira era mais alto do que atualmente.Duas léguas a montante ficava a tapera dos Tarumãs.O forte desempenhou placidamente a sua função durante 114 anos.

O Sargento Guilherme Valente conseguiu reunir no entorno da Fortaleza as nações indígenas mais prestigiosas da região: Manaus,Tacu,Baré,Passé e Baníua,que se agruparam formando a Aldeia de São José do Rio Negro.Depois da fundação da Capitania de São José do Rio Negro,nome herdado da fortaleza e do rio,no fim do século XVIII sendo a aldeia rebaixada à categoria de Lugar,tomou o nome de Lugar da Barra do Rio Negro,lembrando também a linha de separação das águas do Rio Negro,no encontro com o Solimões formando o Amazonas.No decreto de 25 de junho de 1833,artigo 4*,do Governo do Pará,que substitui a denominação da Comarca de São José do Rio Negro pela de Alto Amazonas,com apoio no artigo 3* do Código Criminal do Brasil,vem o Lugar da Barra do Rio Negro,incluído como Termo e sede da Comarca,com a denominação de Vila de Manaus.No entanto,pela lei n.146 de 24 de outubro de 1848,da mesma província,foi a Vila de Manaus elevada de categoria com o nome de Cidade da Barra do Rio Negro.




Instalada a Província do Amazonas,em 1852,da sua Assembléia,em sessão de 21 de agosto de 1856,o deputado João Inácio Rodrigues do Carmo apresentou um projeto mudando o nome da Cidade da Barra do Rio Negro para Cidade de Manaus.Em 28 do mesmo mês e ano subiu à sanção do Presidente da Província,Dr.João Dias Vieira,sendo convertido em lei n.68 de 4 de setembro de 1856.O nome seria oriundo de Manau,célebre nação indígena que habitou e preponderou no Rio Negro,tendo sua corte na antiga aldeia de Bararuá ou Pararuá,lugarejo que,em 1758,foi elevado à Vila com a denominação de Tomar.


*A Imagem: Este é um prospecto, constitui-se no único registro visual conhecido, data de 7 de Dezembro de 1754, feito pelo engenheiro alemão João André Schwebel, quando por aqui passou, fazendo parte da comitiva do governador e capitão-general Francisco Xavier de Mendonça Furtado, vindos de Belém em direção a Mariuá (Barcelos).



FONTES: MELLO, Octaviano. Topônimos Amazonenses.1986.
                 
MONTEIRO, Ypiranga Mário. Fundação de Manaus. 1971.

Nenhum comentário:

Postar um comentário