sábado, 1 de fevereiro de 2014

Conheça tesouros reais, ainda intocados e malditos da história da humanidade

Tesouros escondidos em locais de difícil acesso e cercados por armadilhas mortais. Parece roteiro do filme do Indiana Jones, mas não é: verdadeiras joias perdidas ainda podem fazer a fortuna de muitos, contudo, buscar estas riquezas não garante aos aventureiros o final feliz do cinema. Veja abaixo porque algumas fortunas perdidas ao longo do tempo ainda permanecem intocadas ou envolvem algumas batalhas judiciais que se arrastaram por anos.

Tesouro da fragata Nossa Senhora das Mercedes

No ano de 1804, um navio britânico afundou este barco espanhol, recheado de tesouros. A embarcação foi encontrada na costa de Portugal por uma empresa norte-americana, em 2007. No entanto, o carregamento do barco não pode ser removido e teve início uma longa batalha judicial com o governo espanhol, que acabou vencendo a disputa em 2012, alegando que o tesouro era uma herança cultural de valor incalculável, que nunca poderia ser vendido.

Tesouro da fragata Nossa Senhora de Atocha

Este navio espanhol afundou na costa da Flórida, em 1622, após enfrentar um furacão em alto-mar. Quase toda a tripulação morreu, e junto estava um carregamento de prata, ouro, pérolas, esmeraldas e outras mercadorias do “Novo Mundo”. O tesouro do barco foi encontrado em 1985, pelo experiente mergulhador Mel Fischer, após 16 anos de buscas. Após a descoberta, o Estado da Flórida alegou direitos sobre o navio e forçou Fisher a dar 25% do tesouro encontrado para o governo. Depois de oito anos de litígio, a Suprema Corte dos EUA decidiu em favor de Fisher em 1 de julho de 1982. O mergulhador morreu em 19 dezembro de 1998. Acredita-se que ainda há partes do tesouro que estão desparecidas pelo oceano. 

Tesouro de Oak Island

Esse tesouro ainda não foi encontrado e, desde 1795, quando foi descoberto, muitos tentaram em vão resgatá-lo ao longo dos séculos. Oak Island é uma pequena ilha no Condado de Lunenburg, na parte sul da Nova Escócia, Canadá. Acredita-se que ali esteja um tesouro dos Templários. Muitos já morreram na tentativa de resgatar “o pote de dinheiro”, que estaria a 60 metros de profundidade. Contudo, a medida que se cava, um sistema de canais subterrâneos trata de inundar qualquer tipo de escavação. 

Tumba de Qin Shi Huang

Descoberto em 1974, é o berço dos Guerreiros de Terracota, na China. O mausoléu do homem que unificou o Império do Centro, Qin Shi Huang, permanece intacto por mais de 2.200 anos, dentro de uma pirâmide de três andares e 76 metros de altura, coberto com terra e preservado por um complexo sistema de drenagem. Quando morreu em 210 a.C, o imperador foi enterrado com muitas mulheres, seus guerreiros e também com tesouros. Porém, existe um grande de medo de entrar no mausoléu por causa de um rio de mercúrio que contorna o local e que pode ser extremamente nocivo aos aventureiros. Além disso, não há um “mapa” de como entrar na tumba do Imperador, e os estudiosos acreditam que existam armadilhas. O certo é que os responsáveis pelas escavações não fazem muita questão de entrar ali para conferir.
Tesouro da Mina Perdida do Holandês
Diz a lenda que há um tesouro escondido dentro desta mina, que fica perto da cidade de Apache Junction, leste de Phoenix, no Arizona. Aqui, a história se repete: os que tentaram buscar as riquezas supostamente enterradas não voltaram para contar o que aconteceu. A mina, no entanto, deverá manter o seu segredo já que a área virou local de preservação ambiental e a mineração é proibida. 

Disponível em: http://noticias.seuhistory.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário