quarta-feira, 12 de março de 2014

Fotografias Post Mortem

Após a invenção do Daguerreótipo, as formas de guardar lembranças de entes queridos mudaram. A fotografia era mais acessível e mais realista que as pinturas. As pinturas de pessoas foram comuns durante vários séculos, e nenhuma surpresa que, durante a Era Vitoriana (1837-1901), as fotografias Post Mortem (pós morte) fizeram sucesso, chegando também na América.

Nos século 19 e 20 a taxa de mortalidade infantil era muito alta. Portanto, a fotografia de um bebê ou criança falecida era a única imagem que a família teria dessa pessoa. A maioria do que se tem escrito em sites de pesquisa diz que o costume começou quando a rainha Vitória mandou fotografar o cadáver de um familiar.

As fotografias eram feitas colocando armações de madeira nos corpos, por baixo da roupa ou atrás, para sustentá-los. Fotos de pessoas sentadas ou deitadas também eram uma opção. Cenários, como banquetes ou reuniões, eram criados para dar um tom natural para a ocasião. A aparência de vida era dada pela pintura dos olhos que eram feitas por cima das pálpebras e pela maquiagem que os corpos recebiam. Era um trabalho tão bem feito, que era quase impossível dizer que estavam mortos.

Algumas fotos da época

Pai e filho (ambos estão mortos).


Criança sentada (repare nos olhos pintados por cima das pálpebras e na maquiagem).

Irmã servindo de suporte para o seu irmão morto.

Bebê com os olhos pintados.


Senhor sentado. Foto de 1860.

Esquema de como era feito o suporte do corpo.



FONTE: The Strangest Tradition of Victorian Era: Post-Mortem Photography. (tradução minha) Disponível em: http://io9.com/the-strangest-tradition-of-the-victorian-era-post-mort-472772709 . Acesso em: 12/03/2014


CRÉDITO DAS IMAGENS: http://jomariosoares.blogspot.com.br/
                                  http://forum.outerspace.terra.com.br/
                                  http://omicronfotografia.com.br/










Nenhum comentário:

Postar um comentário