domingo, 16 de março de 2014

O Banho durante a Idade Média

"Cena em recinto de banhos públicos", gravura de Virgil Solis.

O banho no Ocidente era uma herança dos antigos gregos. Quem herdou esse hábito foram os romanos. É interessante o fato de que, esse hábito era praticado por três motivos: higiene, espiritualidade e esporte. Este último, era originário da natação, um dos três pilares da educação dos jovens, como comprovam várias representações em vasos de cerâmica pintados naquele período.

As termas, grandes balneários públicos, eram os locais onde se tomava banho. As maiores de Roma eram as de Caracala, inauguradas em 217, e as de Diocleciano, do ano 305. Nos banhos, a deusa das artes e da sabedoria, Minerva, era adorada.

Durante a Idade Média, a Cristandade varreu as termas da Europa, isso porque era um local onde as pessoas se expunham demais. Nas palavras do Papa Gregório I o "corpo é a abominável vestimenta da alma", ou seja, a fonte de todos os pecados. Para piorar a situação, homens e mulheres passaram a se prostituir no interior das termas. Com isso, o banho passou a ser visto como um ato de Luxúria.

lavar somente as mãos e o rosto, ou um banho por ano, era o recomendável. Nas famílias menos abastadas, uma única tina abastecia todos os membros. O primeiro a banhar-se era o chefe da família. Logo depois vinham outros homens da casa, por ordem de idade, a seguir as mulheres, também por idade e depois as crianças. Por último vinham os bebês. Na sua vez, a água, que não era trocada, já estava bastante suja. Quando a água estava em falta, a limpeza era feita esfregando um pano úmido.

Muita maquiagem, perfumes e uma limpeza no cabelo. Era assim que os nobres, que só tomavam banho a cada dois dias, amenizavam os fortes odores que exalavam.

A falta de higiene favoreceu o surgimento de epidemias devastadoras. A pior delas foi a Grande Peste, que dizimou cerca de 200 milhões de pessoas na Idade Média. Outra questão interessante foi o massacre contra os judeus nessa época. A Igreja começou a notar que eles dificilmente contraiam a doença, e com isso a Inquisição os condenava por bruxaria. Mas porque os judeus não adoeciam ? Por duas simples práticas: Lavar as mãos antes das refeições e tomar banho pelo o menos uma vez na semana.

Depois de séculos, os europeus voltaram a deliciar-se em banhos. Nas guerras religiosas travadas entre os séculos 11 e 13, os cavaleiros cristãos enviados ao Oriente levaram para a Europa o Banho Turco. Nele estavam inclusos a depilação, massagem, branqueamento dos dentes e maquiagem. O medo foi desaparecendo aos poucos, e algumas casas de banho reabriram suas portas.

"O banho turco", de Ingres.


FONTES: FEIJÓ, Bruno Vieira. As águas do tempo: a história do banho. Revista Aventuras na História. 01/03/2007.

TOSSERI, Olivier. Não havia higiene na Idade Média?. Revista História Viva. (s.d).Disponível.em: http://www2.uol.com.br/historiaviva/artigos/nao_havia_higiene_na_idade_media_.html Acesso em: 16/03/2014.


CRÉDITO DAS IMAGENS: http://viticodevagamundo.blogspot.com.br/
                                   http://historiahoje.com/






Nenhum comentário:

Postar um comentário