terça-feira, 18 de março de 2014

O caso de Felipa de Souza

Ilustração representando o julgamento de Felipa de Souza.

Por muito tempo, a privacidade foi algo praticamente inexistente no Brasil. Escândalos sexuais e "puladas" de cerca eram frequentes. Muitas pessoas, por causa de sua opção sexual, foram duramente punidas pelas autoridades da época. Veja só um caso do século 16, ocorrido na Bahia.

Felipa de Souza nasceu 1556, na cidade de Tavira-Algarve, Portugal. Não se sabe quando veio para o Brasil. Viúva, casou-se com o pedreiro Francisco Pires, em Salvador. Era alfabetizada, um fato extraordinário na época.

Felipa foi denunciada ao Santo Ofício e presa por práticas (relação sexual com pessoa do mesmo gênero), em 1591. Felipa confessou seus relacionamentos, envolvendo mais 6 mulheres, residentes em Salvador. Quem lhe denunciou foi Paula Siqueira, uma cristã-velha, acusada de possuir um livro proibido em sua casa, revelou seu romance com Felipa. Ela afirmou que

"... estando ela confessante em sua casa nesta cidade, veio a ela a dita e ambas tiveram ajuntamento carnal uma com a outra por diante e ajuntando seus vasos naturais um com o outro, tendo deleitação e consumando com efeito o cumprimento natural de ambas as partes como se propriamente foram homem com mulher ".

No final do século 16, 29 mulheres foram condenadas na Capitania da Bahia por manterem romances com pessoas do mesmo sexo. Felipa foi a que teve a punição mais severa.

" foi obrigada a ouvir sua sentença na igreja da Sé, em pé, com uma vela acesa na mão e trajando uma veste de linho cru áspero usada para identificar os heréticos, enquanto seus pecados e crimes eram declamados em voz alta ".  

Depois disso, foi açoitada em praça pública (no pelourinho), e expulsa da Capitania da Bahia. A denunciante, Paula, possivelmente por ser mulher do Provedor da Fazenda, teve uma pena mais leve. Foi condenada a 6 dias de prisão, ao pagamento de 50 cruzados, duas aparições públicas como ré e algumas penalidades espirituais.

O caso de Felipa foi dos piores no que diz respeito a violência contra a mulher e a opção sexual.


FONTES: Felipa de Souza (1556 - 1600). Disponível em: http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/FelipaSz.html Acesso em: 18/03/2014.

Textos da Inquisição revelam origens da sexualidade liberal dos brasileiros. Disponível em: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2010/05/textos-da-inquisicao-revelam-origens-de-sexualidade-liberal-dos-brasileiros.html Acesso em: 18/03/2014.


CRÉDITO DA IMAGEM: http://g1.globo.com/




Nenhum comentário:

Postar um comentário