terça-feira, 4 de março de 2014

Os Jesuítas e as Missões

Ruínas da igreja de São Miguel.

A Companhia de Jesus foi fundada por Inácio de Loyola, em Paris, em 1534. Ela tinha objetivos catequéticos, e foi uma das respostas a Reforma Protestante e a expansão do Luteranismo na Europa.

Em 1549, vindo catequizar os índios, chegaram ao Brasil os primeiros padres jesuítas. Além das dificuldades de locomoção, o maior obstáculo foi a oposição dos colonizadores, que eram favoráveis à escravização dos índios. Muitas lutas foram travadas entre jesuítas e colonos.

Os jesuítas procuravam converter o maior número de nativos à fé cristã. Primeiro se estabeleceram na capitania da Baía de Todos os Santos, onde construíram uma igreja a sede da Companhia de Jesus. Nos anos seguintes, novos padres vieram para a colônia, penetrando nas demais regiões.

Para evangelizar os índios, os jesuítas aprofundaram os estudos sobre o tupi-guarani. Como o idioma não era uniforme, eles o padronizaram, eliminando dialetos. Era, assim, criada a língua Nheengatu (língua geral). O padre José de Anchieta foi um grande estudioso dos costumes, das crenças e da língua indígena, tendo escrito uma gramática tupi.

Como já foi dito, os interesses dos jesuítas e dos colonos eram diferentes: de um lado, os colonos que tinham o interesse de utilizar os índios como escravos. Do outro, os jesuítas, que queria converter os índios a fé cristã e eram contra a escravidão. Buscando uma solução contra a exploração dos nativos, os jesuítas construíram no interior da colônia as missões, também conhecidas como reduções. Nas missões, além de serem convertidos, os índios trabalhavam na agricultura e no artesanato. O trabalho indígena construiu a riqueza dos jesuítas, que criaram um “Estado dentro do Estado”.

Procurando formar missionários, os jesuítas construíram escolas e colégios. Neles, além da educação cristã, estudava-se gramática latina, filosofia, humanidades e retórica. Lembrando que, foi um colégio, construído na Capitania de São Vicente, que deu origem ao Povoado de São Paulo de Piratininga, atual São Paulo.



As missões reuniam tribos inimigas, o que frequentemente gerava conflitos. Outro problema foi que, o modo de vida nas missões era totalmente diferente da vida nas aldeias. Se por um lado, os índios eram seminômades, nos aldeamentos eles se tornaram agricultores sedentários. Isso facilitava a sua captura pelos colonos. Os índios também eram vitimados pelas doenças trazidas pelos portugueses.

Os jesuítas permaneceram no Brasil e em outras colônias portuguesas até 1759, quando foram expulsos pelo Marquês de Pombal, que os expulsou para evitar os conflitos contra os colonos. Além disso, a escravidão indígena foi proibida. Pombal queria utilizar a mão de obra indígena para colonizar outras partes do território.


CRÉDITO DA IMAGEM: http://commons.wikimedia.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário