segunda-feira, 19 de maio de 2014

A solução para a crise: o New Deal

Bóton da campanha política de Franklin D. Roosevelt, 1932.

A Grande Depressão de 1929 trouxe efeitos devastadores para as economias capitalistas. Os países que foram atingidos, em maior ou menor grau, buscaram diferentes programas para amenizar os efeitos da crise.

Nos Estados Unidos, a solução ocorreu por meio do programa New Deal (novo acordo ou transação). O programa começou a funcionar no período de 1933 a 1945, durante o governo do presidente Franklin Delano Roosevelt. Franklin inovou com esse programa, pois deu fim ao Liberalismo e implementou a era do capitalismo monopolista. As principais medidas tomadas pelo presidente foram:

- Iniciar um amplo programa de obras públicas (prédios, estradas e hidrelétricas) para dar emprego aos 12 milhões de desempregados;

-  Pagamento de indenizações para fazendeiros destruírem parte da produção, fazendo, assim, os preços subirem;

- Instituição do seguro desemprego (Social Security Act) para diminuir o número de desocupados.

- Instituição do ato para recuperação das indústrias (National Industrial Recovery Act), que previa o aumento de salários e diminuição de horas de trabalho por semana, fazendo com que o poder aquisitivo popular aumentasse e restaurasse as compras.

Além desse programa, o governo de Roosevelt cuidou da política externa, mantendo boas relações com países da Europa e da Ásia, implementando uma política de abertura e colaboração internacional.

O "fantasma" da Grande Crise deixa de assombrar os Estados Unidos com a Eclosão da Segunda Guerra Mundial, pois o país, mais uma vez, sai como um dos maiores beneficiados do conflito, retomando o crescimento industrial. O programa, que fez sucesso nos EUA, foi copiado por outros países, como Inglaterra e França.


FONTES: PEDRO, Antônio; CÁCERES, Florival. História Geral. São Paulo: Ed. Moderna, 1982.

BRAICK, Patrícia Ramos; MOTA, Myriam Becho. HISTÓRIA das cavernas ao terceiro milênio - Do avanço imperialista no século XIX aos dias atuais. São Paulo: Moderna, 2010.


CRÉDITO DA IMAGEM: http://www.britannica.com/


Nenhum comentário:

Postar um comentário