quarta-feira, 7 de maio de 2014

O historiador e as fontes históricas


O historiador é o profissional que, por meio de pesquisas, constrói interpretações sobre o passado humano.  Dizemos que ele está produzindo Historiografia, tendo em vista que o conhecimento produzido é uma interpretação realizada a partir de uma metodologia científica.

Buscando interpretar o passado, o historiador utiliza diversos tipos de fontes. Primeiro, a definição de fonte histórica varia com o tempo. Antigamente, nos séculos 18 e 19, acreditava-se que a verdade só era encontrada nos documentos escritos. Seguindo esse raciocínio, para os antigos historiadores, os povos sem escrita não tinham História.

A partir da Nova História, corrente historiográfica surgida nos anos de 1970, correspondente à terceira geração da Escola dos Annales, o conceito de Fonte (s) histórica (s) ganha novos contornos. A Nova História deixa claro que existem outras fontes para contribuir com a história, como a mentalidade, costumes, oralidade e artefatos. As fontes são classificadas em quatro tipos: Escritas, materiais, iconográficas e orais.

As fontes escritas, como visto no início, são as mais tradicionais. Livros, cartas, obituários, passaportes e registros de nascimento são fontes importantes de informação. Atualmente, a história do cotidiano, que não beneficia somente um setor da sociedade, faz com surjam novos tipos de fontes escritas, como diários e receitas culinárias.

Fontes materiais possibilitam a reconstrução do passado de sociedades que viveram antes da invenção da escrita. Instrumentos de trabalho, utensílios domésticos, vestes, moradias, monumentos, moedas e qualquer material produzido em outras épocas. 

De pinturas rupestres à Fotografia. As fontes iconográficas revelam vários aspectos das sociedades que a produziram. Pinturas rupestres, desenhos, esculturas e a fotografia, permitem que o historiador descubra como as pessoas do passado se expressavam. A iconografia é uma representação, em cada época, das ideias, das crenças e valores de uma sociedade.

Por último, temos as fontes orais. Também conhecidas como fontes imateriais, ela é assim como as outras, de total importância para o historiador. Muito do passado humano, chegou até nós graças a tradição oral, que vai passado de geração após geração. Músicas, orações, lendas e brincadeiras de crianças, que passam de pais para filhos à séculos, possibilitam que o historiador interprete o passado distante de um sociedade.

As Fontes orais não servem somente para grande períodos históricos. A oralidade permite o estudo de uma história mais recente. Tomemos como exemplo o Período da Ditadura Militar ou as Diretas Já. Pessoas que viveram nesse período estão vivas. Juntando as fontes escritas, materiais e iconográficas, o historiador pode entrevistar uma pessoa que viveu nesse período e desmembrar esses períodos históricos.



CRÉDITO DA IMAGEM: http: www.revistafantastica.com.br





Nenhum comentário:

Postar um comentário