sexta-feira, 8 de agosto de 2014

A sociedade Judaica nos tempos do Império Romano



Roma permitia que os países dominados mantivessem governos próprios, mas submetidos á aprovação e nomeação imperial. No que diz respeito aos judeus, Roma permitia a liberdade religiosa e conservação dos costumes e tradições. Nos tempos do Império, a sociedade judaica estava dividida em grupos que apoiavam a dominação romana e em grupos que não apoiavam.

Os Saduceus foram os maiores apoiadores de Roma. Seguiam uma política de conciliação de interesses, pois tinham medo de perder seus cargos e privilégios. O grupo era formado por grandes proprietários de terra (anciãos) e pelos membros da elite sacerdotal. Eram poderosos economicamente e controlavam a administração da justiça no Tribunal Supremo (Sinédrio).

Formado pela corte de Herodes Antipas, na Galiléia, os Herodianos apoiavam a dependência dos judeus em relação aos romanos. Eram opositores dos Zelotas, grupo contrário à dominação romana. Capturavam opositores políticos na Galiléia.

Os Fariseus eram nacionalistas e hostis ao domínio romano, mas sua resistência era passiva. O grupo constituía-se de pessoas de todas as camadas sociais, principalmente artesãos e pequenos comerciantes. Mais tarde, a maioria do clero pobre, opositora da elite sacerdotal, começa a integrar esse grupo.

Se Fariseus eram passivos, os Zelotas, oriundos da Galiléia, eram violentos e partiam para a luta armada. As autoridades os consideravam criminosos e terroristas. Eram frequentemente perseguidos pelos romanos. O grupo era formado por pessoas vindas das camadas mais pobres, que sofriam com uma pesada cobrança de impostos. Planejavam a expulsão dos romanos e a criação e um Estado Teocrático, governado por um descendente de Davi.

A vida política e religiosa da sociedade judaica estava no Templo e na Sinagoga. O Templo era o centro econômico, político e judiciário, e era dominado pelos saduceus. Era no Templo que funcionava a cúpula governamental judaica, formada pelo Sinédrio, que agrupa sacerdotes e anciãos (grandes proprietários de terra). Os sacerdotes controlavam a sociedade, ditando os valores do Judaísmo.

As sinagogas eram lugares onde o povo se reunia para as preces diárias. Elas eram espalhadas por todo o país, inclusive das aldeias, e eram centros de formação e educação do povo. Fariseus e escribas as controlavam.



FONTE: BALANCIN, Euclides Martins. Guia de Leitura aos Mapas da Bíblia. São Paulo: Paulinas, 1987.


CRÉDITO DA IMAGEM: http://www.conocereisdeverdad.org/


Nenhum comentário:

Postar um comentário