terça-feira, 23 de setembro de 2014

As divisões da democracia ateniense



A democracia ateniense tinha o poder dividido em três instituições: a Eclésia, a Bulé e a Heleia. Todos os cidadãos (com exceção das mulheres, crianças, estrangeiros e escravos) decidiam os rumos da vida na Pólis. Dessa forma, não existia um governante único.

Eclésia (Assembleia do Povo): a cada dez dias, os cidadãos de Atenas se reuniam para debater os problemas da pólis, propor e votar novas leis. Essas reuniões constituíam a Eclésia. Para participar dela bastava ser cidadão ateniense do sexo masculino e ter mais de 20 anos. Todo cidadão tinha o direito de pedir a palavra para expor seus argumentos, como propostas de guerra e paz, impostos, obras públicas, etc. Além de cumprir essas funções, a Eclésia elegia os magistrados, pessoas responsáveis por executar as tarefas do governo da cidade. O cargo da magistratura de maior prestigio era o de estratego, comandante do exército e dirigente político.

Bulé (Conselho dos Quinhentos): era um Conselho de Estado formado por quinhentos cidadãos maiores de 30 anos. Os integrantes eram escolhidos por sorteio anualmente. Os membros propunham leis e as encaminhavam para votação pela Eclésia. Questões religiosas e de ordem também eram suas responsabilidades.

Heleia: Tribunal encarregado de aplicar a justiça. Era formado por 6 mil cidadãos com mais de 30 anos. Seus membros eram escolhidos por sorteios anualmente.



FONTE: AZEVEDO, Gislane; SERIACOPI, Reinaldo. História: da Pré-História à Antiguidade. São Paulo: Ática, 2012. - (Projeto Teláris: História)


CRÉDITO DA IMAGEM: http://democraciahistorica.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário