quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Questionando a autoridade sagrada: as heresias medievais

A Inquisição foi o mais forte mecanismo de supressão contra as heresias.

A palavra heresia vem do grego hairesis, hairein, que significa "escolher". Isso pode ser entendido como uma ideologia ou movimento que vai contra os ensinamentos e as doutrinas de uma religião dominante. A Reforma Protestante, por exemplo, que deu origem ao protestantismo, foi uma heresia contra a religião católica.

Durante a Idade Média surgiram vários movimentos heréticos contra a autoridade da Igreja. Mas, muito antes disso, vários já vinham sendo relatados, pois existiam divergências entre as diferentes interpretações dos textos sagrados. Os movimentos possuíam caráter filosófico e teológico, pois eram feitos questionamentos em torno da natureza humana e divina de Cristo, da Trindade e de outros dogmas cristãos.

Uma das principais ameaças ao poder "sagrado", representado pelo Clero, era o Racionalismo. Essa corrente filosófica, que tem como prioridade a razão, tornou-se um poderoso mecanismo de contestação à autoridade dos padres e a validade da fé. Aos poucos, as heresias tornaram-se movimentos populares que, não só abalavam a religião como também abalavam a ordem vigente.

As principais críticas feitas à autoridade religiosa da época (Igreja Romana), era de que esta estava se desvirtuando dos ensinamentos do cristianismo primitivo - caridade e humildade, por exemplo - visto que a instituição enriquecia por meio da imposição de dogmas e, principalmente, da venda de artefatos religiosos e indulgências, que, possivelmente, garantiriam a salvação de seus compradores.

O principal ponto de análise é o surgimento entre os séculos 11 e 13, durante a Baixa Idade Média, de grupos heréticos que foram duramente repreendidos pelas autoridades religiosas. Os principais foram: o Catarismo, o Valdeísmo, os Hussitas e os Wyclifianos.

A religião Cátara surgiu na França, no século 9, e estava ligada ao manaqueísmo (religião surgida no século 3 que mesclava cristianismo, zoroastrismo e gnosticismo). Dentre os principais ensinamentos cátaros, está a dualidade: para eles, Deus criou o mundo espiritual, e Satã, o mundo material. Os cátaros se difundiram pela Alemanha, Inglaterra e Itália.

O Catarismo foi considerado herético e condenado pelo Concílio Regional de Toulouse em 1119, quando a Igreja Católica a considerou uma ameaça para a fé e a unidade cristã (AUXILIADORA, ANDRADE, CRUZ. As Heresias Medievais. p. 6 Trabalho do curso de Licenciatura em História da Faculdade José Augusto Vieira. s.d.).

Em 1208, o representante eclesiástico Pierre de Castelnau excomungou um nobre de Toulouse, maior região de Languedoc, onde se concentravam os líderes cátaros. Como vingança, Castelnau foi assassinado. No mesmo ano, o Vaticano deu início à uma guerra santa contra os cátaros e, um ano depois, mais de 7.000 foram mortos.

Na Borgonha, no final do século 12 e início do 13, surgiu o Valdeísmo, movimento liderado por Pedro Valdo, um rico mercador de Lyon que abandonou a vida de riquezas e se dedicou a estudar os textos bíblicos e pregar a palavra pela França. Os valdenses pregavam se autorização da Igreja e afirmavam que a instituição estava corrompida desde os tempos de Constantino e que os ritos sacerdotais não tinham nenhum efeito. 

Na sua cidade, Pedro foi proibido pelo bispo de pregar, mas o papa Alexandre III, no III Concílio de Latrão, permitiu que a pregação continuasse, desde que Valdo se submetesse a autoridade local (o bispo). Um dos deveres dos valdenses era o de combater os cátaros, coisa que não fizeram, rompendo, assim, com a Igreja. Como consequência, foram considerados hereges e passaram a ser perseguidos.

Por volta de 1533, os valdenses passaram a ser protestantes e aderiram o movimento calvinista. Porém, mesmo depois disso, sofreram várias perseguições e em 1545, 22 aldeias valdenses foram totalmente destruídas, num total de pelo menos 3 mil pessoas mortas (AUXILIADORA, ANDRADE, CRUZ. As Heresias Medievais. p. 9. Trabalho do curso de Licenciatura em História da Faculdade José Augusto Vieira. s.d.).

A heresia de Wycliff surge no final do século 14, na Inglaterra. O líder desse movimento foi o  teólogo, reformador e professor da Universidade de Oxford, John Wycliff. Wycliff, usando seus conhecimentos religiosos, condenava a extorsão religiosa, a numerosa quantidade de terras sob poder da Igreja e as ideias de purgatório e transubstanciação. Ele também afirmava que o papa era o Anticristo. 

John foi responsável pela primeira tradução da Bíblia para a língua inglesa. Os ensinamentos de John Wycliff exerceram grande influência nos movimentos reformadores da Boêmia. Para evitar a expansão da influência Wycliffiana, a Igreja, por meio do Concílio de Constança, declarou Wycliff herege (mais de 20 anos depois de sua morte) e queimou seus livros e ossos.

A Boêmia foi palco para o movimento Hussita, influenciado pelas ideias de John Wycliff e liderado pelo pensador e reformador checo Jan Hus. Diferente de todos os outros líderes heréticos, Jan não pregava a criação de uma seita, apenas a liberdade de pregação, a pobreza da Igreja e a livre comunhão para os cristãos . Mesmo assim, Jan foi considerado herege pelo Concílio de Constança e morto na fogueira, em 1415.

Conclui-se que, as heresias, movimentos que iam contra os ensinamentos e as doutrinas de uma religião dominante, nesse caso o Cristianismo (Igreja Católica), foram violentamente reprimidas pelas autoridades. Pensamentos divergentes eram um perigo para a igreja naquele momento, que estava mais preocupada com o enriquecimento ilícito do que com a "salvação" de seus seguidores.



FONTES: AUXILIADORA, Jackeline; ANDRADE, Leilane; CRUZ, Luís Carlos. As Heresias Medievais. Trabalho do curso de Licenciatura em História da Faculdade José Augusto Vieira. s.d.

FALBEL, Nachman. Heresias Medievais. São Paulo: Perspectiva. 2° ed. 1999.

John Wycliff - http://solascriptura-tt.org/

OPPERMANN, Álvaro. Cátaros: Hereges, graças à Deus. Revista Superinteressante. 2008.


CRÉDITO DA IMAGEM: commons.wikimedia.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário