domingo, 19 de outubro de 2014

Um continente repartido: a África antes e depois da Conferência de Berlim

Mapa da África em 1914.

Até 1880, com exceção da Argélia, conquistada pelos franceses em 1847, a dominação europeia na África estava restrita a alguns territórios e faixas costeiras. No entanto, após a Conferência de Berlim, realizada entre 1884 e 1885, o continente foi repartido entre as potências europeias, que não levaram em conta os hábitos e costumes dos povos africanos. Essa divisão é responsável por conflitos étnicos existentes até os dias de hoje.

[...] apenas algumas áreas bastante restritas da África estavam sob a dominação direta de europeus. Em toda a África ocidental, essa dominação limitava -se às zonas costeiras e ilhas do Senegal, à cidade de Freetown e seus arredores (que hoje fazem parte de Serra Leoa), às regiões meridionais da Costa do Ouro (atual Gana), ao litoral de Abidjan, na Costa do Marfim, e de Porto Novo, no Daomé (atual Benin), e à ilha de Lagos (no que consiste atualmente a Nigéria). Na África setentrional, em 1880, os franceses tinham colonizado apenas a Argélia. Da África oriental, nem um só palmo de terra havia tombado em mãos de qualquer potência europeia, enquanto, na África central, o poder exercido pelos portugueses restringia -se a algumas faixas costeiras de Moçambique e Angola. Só na África meridional é que a dominação estrangeira se achava firmemente implantada, estendendo -se largamente pelo interior da região.

[...] em cerca de 80% do seu território, a África era governada por seus próprios reis, rainhas, chefes de clãs e de linhagens, em impérios, reinos, comunidades e unidades políticas de porte e natureza variados. No entanto, nos trinta anos seguintes, assiste-se a uma transmutação extraordinária [...] dessa situação. Em 1914, com a única exceção da Etiópia e da Libéria, a África inteira vê-se submetida à dominação de potências europeias e dividida em colônias de dimensões diversas, mas de modo geral, muito mais extensas do que as formações políticas preexistentes e, muitas vezes, com pouca ou nenhuma relação com elas. Nessa época, [...] a África não é assaltada apenas na sua soberania e na sua independência, mas também em seus valores culturais.

História Geral da África, VII: África sob a dominação colonial, 1880 - 1935 / editado por Albert Adu Boahen. - 2.ed. rev. - Brasília: UNESCO, 2010.


CRÉDITO DA IMAGEM: commons.wikimedia.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário