quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Pétion-Ville: Lar da elite haitiana

Já faz tempo que estava curioso para saber como é um bairro nobre em um país tão pobre como o Haiti. Fazendo pesquisas descobri um, que na verdade é uma cidade: Pétion-Ville, que muitos pensam ser um bairro, é uma cidade do Haiti. Nela, a mais rica do país, ficam as embaixadas, as multi-nacionais, os grandes comércios, os cassinos, os clubes, os hotéis e várias mansões de alto padrão.

Em 2010, um terremoto de 7.0 na escala richter devastou o país. Porto Príncipe, a capital, ficou em ruínas. Algumas instalações de Petion-Ville, que sofreu pequenos danos se comparada com outras cidades, serviram de abrigo e hospitais improvisados para atender os feridos. 

Qual a origem do nome Petion - Ville? Quando a cidade foi fundada, em 1831, o então presidente Jean-Pierre Boyer homenageou Alexandre Sabes Pétion, o primeiro presidente do Haiti e um dos fundadores do país, juntamente com Toussaint Louverture, Jean-Jacques Dessalines e Henri Christophe. Em síntese, Pétion-Ville significa 'cidade de Pétion'.

O que mais me chamou atenção foi a localização da cidade. Diferente de tantas outras no mundo, a população mais rica não vive no centro ou no litoral. Pétion-Ville fica no alto de uma montanha, distante de Porto Príncipe, onde ficam os grandes bolsões de pobreza. Leia um trecho do livro A República Negra: histórias de um repórter sobre as tropas brasileiras no Haiti.

''Numa comparação um tanto grosseira, seria possível dizer que, em termos de localização geográfica do poder econômico, toda a região lembra o Rio de Janeiro às avessas - em Porto Príncipe, quem subiu o morro foi a parcela mais rica da população''.

Depois do terremoto, Pétion-Ville, assim como outras regiões do Caribe, se tornou destino dos desabrigados, que passaram a formar favelas. Pétion - Ville possui segurança, lazer, transporte e uma vida noturna agitada. Vejam fotos da cidade.

Pétion-Ville, a região mais rica do Haiti, distante da capital Porto Príncipe.


Algumas mansões.

GIANT, supermercado.



FONTE: KAWAGUTI, Luís. A República Negra: histórias de um repórter sobre as tropas brasileiras no Haiti. Globo Livros, 2006, p. 68.



CRÉDITO DAS IMAGENS: Skyscrapercity



Nenhum comentário:

Postar um comentário