sábado, 27 de dezembro de 2014

Relatos dos viajantes que estiveram ou viveram no Brasil no século 19 (I)

Embarque da Família Real Portuguesa para o Brasil.

Este trabalho apresenta um compêndio dos relatos escritos por viajantes estrangeiros que estiveram ou viveram no Brasil no século XIX, entre 1816 e 1865. A presença de estrangeiros (ingleses, alemães, suíços) no país se tornou frequente após a Abertura dos Portos às Nações Amigas, decretada em 1808 por D. João VI. Os viajantes, de diferentes nacionalidades, formações intelectuais e profissões, deixaram importantes escritos sobre a vida social, os costumes e a fauna e flora do país na época.

Os pontos de interesse deste trabalho são os aspectos sociais e culturais, duramente criticados e depreciados, pois estes eram vistos sob o ponto de vista da cultura europeia, considerada superior as demais. Esse tipo de análise recebe o nome de Eurocentrismo. Vale lembrar que, os relatos do século XIX, diferentes daqueles produzidos nos séculos XVI, XVII e XVIII, onde predominavam mitos, visões fantásticas e religiosas, tem uma base científica empirista. Reunidos em livros e diários, esses relatos influenciaram na formação de uma imagem fortemente difundida interna e externamente: a de um país atrasado, incivilizado e moralmente baixo.

Para a realização deste trabalho, optou-se pela seguinte metodologia: leitura dos relatos dos viajantes Auguste de Saint-Hilaire, Jean-Baptiste Debret, Alfred Wallace Russel, Luiz e Elizabeth Agassiz, Henry Coster, entre outros, editados e transformados em livros; e leitura de artigos, revistas, teses e periódicos referentes ao assunto.


Quem eram os viajantes que aqui estiveram ou viveram no século 19?

Os viajantes estrangeiros que estiveram ou viveram no Brasil no século XIX, de acordo com Laurentino Gomes, em artigo publicado na revista Aventuras na História, estavam divididos em cinco categorias

''A primeira é a dos comerciantes, mineradores e outros homens de negócio […] A segunda é a dos nobres, diplomatas, militares e funcionários de governo, que moraram ou passaram pelo país em missão oficial. […] A terceira categoria é a dos cientistas, integrantes das inúmeras expedições que percorreram o país nesse período. […] O quarto grupo é o dos pintores e paisagistas […] O quinto e último é composto por aventureiros, curiosos e gente que chegou ao país quase por acaso. É um grupo que, curiosamente, inclui mulheres, como a […] inglesa Maria Graham (1785-1842).'' (1)

Auguste de Saint-Hilaire.



FONTES: (1) GOMES, Laurentino. O Brasil dos viajantes. Revista Aventuras na História, outubro de 2009.


CRÉDITO DAS IMAGENS: wikimedia.commons




Nenhum comentário:

Postar um comentário