domingo, 15 de fevereiro de 2015

Um documento para entender a Era Meiji

Exibição Industrial de Tóquio, 1907.

A Era Meiji (1868-1912) ou ''Era Iluminada'', conforme a tradução, foi o período de abertura do Japão ao mundo, bem como sua inserção no modelo econômico capitalista. O país, que ficou séculos isolado do Ocidente, se tornou, em poucas décadas, uma das principais potências imperialistas do século 20. Os feudos deram lugar aos grandes conglomerados comerciais e bancos; a educação tornou-se obrigatória; e o poder imperial se tornou centralizado. Em síntese, Mutsuhito Tenno, o primeiro e último imperador Meiji, apagou todos os resquícios da decadente sociedade feudal japonesa. Para melhor entender esse período histórico, leiam abaixo um texto imperial da Era Meiji, extraído do livro do historiador francês Jean Chesneaux, “A Ásia Oriental nos séculos XIX e XX”.

Vimos de assumir a sucessão ao Trono Imperial, no momento em que o Império é submetido a uma reforma total. Reservamo-nos o direito de decidir, de modo supremo e exclusivo, os assuntos civis e militares. A dignidade e felicidade da nação reclamam a interferência de nossa elevada função. De modo constante e sem repouso, consagraremos a isso nossos pensamentos. Por indignos que sejamos para a tarefa, pretendemos continuar o trabalho começado pelos nossos sábios antepassados e aplicar a política que nos legou o falecido imperador, dando paz aos clãs e ao nosso povo, e promovendo, além dos mares, no exterior, a glória da nação. Devido às intrigas imoderadas que o shogun Tokugawa Keiki alimentou, o Império se reduziu a pedaços e, em consequência, veio a guerra civil que padecimentos sem conta impôs ao povo. Assim, fomos forçados a fazer, pessoalmente, campanha contra ele.

Como já se declarou, a existência de relações com países estrangeiros implica em problemas muito importantes. Assim, também nós, por amor ao povo, estamos dispostos a enfrentar os perigos do abismo, a sofrer as maiores dificuldades, jurando estender ao estrangeiro a glória da nação, e a satisfazer aos manes dos nossos ancestrais e do defunto imperador.

Portanto, que vossos clãs reunidos nos assistam em nossas imperfeições; que unindo vossos corações e vossas forças desempenheis os papéis que vos estão atribuídos, desdobrando todo vosso zelo para o bem do Estado.”

(Selo Imperial) – 21 de março de 1868


Esse texto, escrito no início da Era Meiji, tem um caráter nacionalista, amplamente divulgado e incentivado pelo Império, temeroso contra as ambições estrangeiras no país. Não muito diferente de Inglaterra, França, Alemanha e Estados Unidos, o Japão, que precisava de matérias-primas para a sua industrialização, passou a expandir sua área de influência: Em 1876, o Japão pressionou militarmente a Coréia, conseguindo por meio de um tratado o acesso à três portos desse país; Em 1895, depois de derrotar a China na Guerra Sino-Japonesa, o Japão ganha o controle do território de Taiwan; Em 1905, o Japão derrota a Rússia na Guerra Russo-Japonesa, recebendo do país derrotado a península chinesa de Liaodong e parte da ilha russa de Sacalina; e, em 1905, a Coréia torna-se um protetorado japonês, para mais tarde, em 1910, ser oficialmente anexada ao Império do Japão. Agora deu para entender a afirmação: “estender ao estrangeiro a glória da nação''.


CRÉDITO DA IMAGEM: www.oldphotosofjapan.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário